Campo-grandense faz parte de grupo suspeito de planejar atentado

Operação Hashtag da Polícia Federal prendeu, ontem, campo-grandense acusado de planejar atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos. Leonid El Kadri, que possui descendência libanesa, foi transferido para o Presídio Federal de Campo Grande junto com outros nove suspeitos. Ele havia sido preso, anteriormente, por homicídio e roubo.

Leonid El Kadri foi transferido para presídio federal em Campo Grande - Foto: Reprodução/Facebook
Leonid El Kadri foi transferido para presídio federal em Campo Grande – Foto: Reprodução/Facebook

Morador de Campos de Júlio (MT), conforme a Revista Veja, Leonid trabalhava como mecânico em agropecuária. Seu histórico criminal inclui condenação, de 18 anos e oito meses, por homicídio e roubo qualificado. Ele chegou a fugir da prisão em Araguaína (TO), se apresentando posteriormente em Vila Bela da Santíssima Trindade (MT). Junto com ele foi condenado Valdir Pereira da Rocha.

Divorciado, o sul-mato-grossense que nasceu em Campo Grande cursava engenharia mecânica na Faculdade Anhanguera. Antes havia frequentado escola evangélica e grupo de escoteiros por 11 anos no Tocantins. Nas redes sociais, adotou a identidade de Abu Khalled.

HASHTAG

Mensagens de apoio aos últimos atentados do Estado Islâmico e tentativa de compra de armas entre brasileiros foram interceptadas, em redes sociais como Telegram e WhatsApp, pela Divisão de Antiterrorismo da Polícia Federal. O procedimento foi autorizado pela Justiça com base na Lei Antiterrorismo sancionada, em março, pela presidente afastada Dilma Rousseff.

Segundo o Ministério da Justiça, alguns dos investigados na operação chegaram a fazer juramento virtual ao grupo terrorista, mas não tiveram contato com membros do Estado Islâmico. As autoridades brasileiras classificam o grupo como “célula absolutamente amadora”.

Comentários

comentários