Campo-grandense conquista vaga inédita no Balé Bolshoi-Brasil

Lúcio Borges

A escola do Teatro-Balé Bolshoi-Brasil abriu seleção em 2018, para o corpo do elenco que existe na cidade de Joinville em Santa Catarina, único fora da Rússia, onde há a formação original da escola e após muitos passam a ter a chance de ir ao palco principal em solo russo. A ‘contratação’ neste ano chegou a Mato Grosso do Sul, com um aluno de Campo Grande, que foi selecionado para ir para a instituição mais tradicional da modalidade no mundo. O garoto Emanoel Nascimento, 12 anos, é o autor do feito inédito para nossa região, como para milhares de concorrentes que tentam entrar no projeto. Veja abaixo, o histórico do menino, que iniciou atuação e foi descoberto na Escola Elizabel Maria Gomes Salles, no bairro Santa Luzia, região Norte da Capital.

O estudante de uma escola pública da Capital foi para Joenvile-SC junto com sua colega Giovana Benites da Silva para disputar a seleção entre 5,8 mil postulantes para o Balé Bolshoi do Brasil e ganhou uma vaga na Instituição. Além da vaga em si, ele se torna o primeiro homem do Estado a entrar em uma escola e Ballet e ainda a mais tradicional da modalidade no mundo.

Emanoel Nascimento foi para uma seleção com a quantia de mais de 5 mil entre participação de 22 estados brasileiros, Distrito Federal e até da Argentina. Ele passou por exames médicos fisioterápicos e artísticos. Foram aprovadas 40 crianças, que iniciam na primeira série, e oito adolescentes, que vão para as series mais avançadas. Os alunos classificados, aprovados pela escola, serão bolsistas e poderão ingressar no curso de dança clássica, com duração de até oito anos.

Conforme divulgação da entidade, aos alunos também serão oferecidos benefícios como alimentação, transporte, uniformes, figurinos, assistência social, orientação pedagógica, assistência odontológica preventiva, atendimento fisioterápico, nutricional e assistência médica de emergência pré-hospitalar. As aulas iniciam em fevereiro.

Começou na escola pública

Conforme divulgação da Semed (Secretário Municipal de Educação), o aluno é um dos talentos, que foram descobertos pela professora Thais Marques, que leciona a modalidade na Escola Elizabel. O treino para as crianças é realizado todos os dias dentro da escola, quatro horas por semana.

O projeto de dança é desenvolvido pela Divisão de Esporte, Arte e Cultura (DEAC) da Superintendência de Políticas Educacionais da Semed, em 40 escolas. Hoje são 1577 alunos e 33 professores, nas modalidades de Ballet, Jazz, Danças Urbanas, Dança Contemporânea, Dança Regional e Sapateado. Só na modalidade do balé, são 19 escolas, 12 professoras e 783 alunos.

Mudança geral

Emanoel vive a alegria de ser o primeiro do Estado a conquistar a vaga. “Foi legal. Uma experiência nova. Lá apresentei várias coisas, como: Coope, abertura, sapinho, pé na cabeça, pulo e outras coisas. Teve prova de português, matemática e música. Tirei 9,5. Tenho vontade de morar lá. É muito legal a escola, porque aprende muitas coisas que eu não sabia. Meu sonho”, declarou.

Para continuar, Emanoel terá que se mudar para o Estado sede do Balé, em Santa Catarina. Essa mudança já era esperada pelos pais de Emanoel, que anteriormente já mencionava nos treinamentos da seletiva final. Assim, a mudança de vida poderá ser considerada de forma a ser radical.

A mãe de Emanoel, Candelaria Nascimento, ficou surpresa com a classificação de seu filho na disputa. Agora, para ela, a batalha vai ser arrumar sua vida fora, em outro Estado. “Fiquei super feliz. Esta demorando pra cair a ficha. Agora, tenho que me preparar pra essa mudança de vida. Vou fazer de tudo para realizar o sonho de meu filho. Sei que não será fácil”, analisou.

Comentários