Campo Grande registra em maio 3ª maior inflação entre capitais

Campo Grande registrou no mês de maio uma inflação de 0,42%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (7), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o terceiro maior percentual entre as 16 capitais em que a entidade apura o indicador, ficando abaixo somente de Rio Branco (AC), com 0,67% e Goiânia (GO), com 0,48%.

Aumento da tarifa de energia que ocorreu em abril ainda teve grande impacto na alta da inflação em maio em Campo Grande

O índice da capital sul-mato-grossense ainda ficou bem acima da média nacional que foi de 0,13%. No acumulado de 2019, a inflação em Campo Grande atingiu os 2,38% e no período dos últimos 12 meses chegou a 3,66%.

Assim como ocorreu em abril, entre os nove grupos de produtos e serviços que são acompanhados para o cálculo da inflação, o que teve o maior “peso” para a alta do índice em Campo Grande foi o da “Habitação”, 2,11%, ainda refletindo o aumento da tarifa de energia elétrica em Mato Grosso do Sul. Para o IPCA o impacto foi de 6,05% neste mês, apesar de para o consumidor o reajuste que entrou em vigor em abril ter chegado a 12,48%.

Dos outros oito grupos de produtos, sete registraram incremento de preços: “Transportes”, 1,14%; “Vestuário”, 0,89%; “Saúde e Cuidados Pessoais”, 0,63%; “Artigos de Residência”, 0,39%, “Despesas Pessoais”, 0,37%; “Educação”, 0,04% e “Comunicação”, 0,01%.

O único grupo que registrou deflação, isto é, queda de preços foi o de “Alimentação e Bebidas”, com 1,24%. Curiosamente o produto que registrou a maior alta na cidade em maio foi justamente um item desde segmento, o alho, com 10,22%.

Na lista dos produtos e serviços com maior aumento de preço no mês aparece os gastos com clube no grupo de “Despesas Pessoais”, com 8,55% e em terceiro vem a energia elétrica.

Comentários