Campo Grande pode ter 13 candidatos a prefeito, a metade já é confirmada

PrefeituraA eleição 2016 para prefeito e vereadores, apesar de toda a crise politico administrativa da prefeitura de Campo Grande, tem apontado e pode chegar até uma marca histórica, de pelo menos 13 candidatos indo a disputa pelo Paço Municipal. Com a crise no Executivo e Legislativo local, os problemas sócio-politico em nível nacional, as divisões em geral, com a dificuldade em aglutinar os partidos, e, por fim a visão de uma ‘oportunidade’ em avançar e vencer sozinho, o pleito eleitoral, sem ter que dividir o Poder, o campo se aponta vasto para as candidaturas. Veja abaixo, os nomes e partidos dos pretensos concorrentes e como os partidos estão evoluindo nas articulações. O número garante com certeza, um segundo turno na Capital.

A falta de um candidato que dispara na pesquisa, o sucesso alcançado por Alcides Bernal (PP) na última eleição e a crise dos grandes partidos está animando os novatos, que acreditam no desejo popular por um nome novo e sem desgaste político. O quadro aponta as candidaturas, apesar ainda de terem que ser aprovadas definitivamente pelas siglas, com novos nomes e também os antigos ou dito de renomes. O fato pode complicar até para o eleitor, que mesmo pedindo nomes diferentes e uma renovação total dos quadros, irá se deparar com imensa lista. Pelos nomes colocados ‘a disposição’ e já pelos tantos lançados, já há de quatro a sete candidatos confirmados, que querem administrar a capital de Mato Grosso do Sul. Poderá ser visto até um ex-prefeito disputando as eleições enfrentando um irmão nas urnas.

Os nomes escolhidos deverão ser confirmados durante as convenções partidárias, realizadas entre 20 de julho e 5 de agosto. Contudo, os campo-grandenses já podem contar na disputa com os candidatos que já se declararam oficialmente, como o atual prefeito Bernal, que vai para reeleição; o deputado estadual Marcos Trad pelo PSD e o engenheiro civil Aroldo Figueiró, que foi anunciado com a aposta do nanico PTN. Há ainda pelo menos outros dez nomes já apontados, onde ao menos a metade já é praticamente certa, apesar de ainda haver as articulações para possíveis composições de coligações.

Os bem cotados, que já foram até pré-lançados, mas que ainda estão em articulação e precisam ser ratificados pelos partidos, são: Sérgio Longen, pelo PR, presidente da Fiems (Federação das Indústrias do MS); o coronel Carlos Alberto Davi, pelo PSC, suplente recém empossado deputado estadual, é o nome do partido; o ex-prefeito Nelson Trad Filho, considerado o pré-candidato do PTB. O vereador Marcos Alex, se lançou pelo PT, para a disputa na chapa majoritária da Capital.

Caso a caso
Os quatro primeiros já se lançaram ou definiram posição

PP
O partido do atual prefeito, Alcides Bernal, do qual é presidente regional, já definiuque irá buscar a reeleição, na conturbada administração fatiada de Bernal.

PSD
O partido tem o deputado estadual Marquinhos Trad como o escolhido para enfrentar os adversários e o irmão nas urnas em outubro. Parlamentar eleito pelo PMDB em 2014, trocou de sigla em março de 2016.

PTN
O engenheiro civil Aroldo Figueiró, já foi anunciado como a aposta da sigla.

PSC
O recém empossado a deputado estadual suplente Coronel Davi é o nome já dito para defender o partido na disputa eleitoral pela prefeitura, com a intensão de fazer palanque para uma futura eleição a presidente da República, de jair Bolsonaro. Davi, tem a vaga no legislativo como o primeiro cargo político depois de se aposentar da Polícia Militar.

Lançados, mas a ratificar

PSDB
Partido do governador Reinaldo Azambuja coloca dois nomes em evidência para enfrentar os 587.867 eleitores campo-grandenses. A vice-governadora Rose Modesto, é a mais cotada, onde já se afastou do cargo de Secretaria estadual, para se preparar para o desafio, mas o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, também é cotado.

PT
Outra grande sigla que está em discussão para definir o candidato. Por enquanto, o vereador Marcos Alex se alto declarou o candidato da sigla, apontando que só sai da disputa, se o partido apresentar outro nome viável sócio-eleitoralmente mais forte. O deputado estadual Cabo Almi também é cotados para a disputa na chapa majoritária da Capital.

PTB
O ex-prefeito Nelson Trad Filho é considerado o pré-candidato a prefeito pelo partido, mas a confirmação só na convenção. Ele também é o presidente regional da sigla. Nelsinho administrou a capital sul-mato-grossense por dois mandatos pelo PMDB e se filiou ao atual partido em 2015.

PR
Com a filiação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, o partido viabiliza candidatura própria para majoritária.

PV
O partido deve repetir a decisão da última eleição e disputar a prefeitura com o presidente regional e ex-vereador de Campo Grande, Marcelo Bluma.

Candidatura sim, mas ainda sem nome

PMDB
O partido tem a definição da certeza de disputar a prefeitura, ams sem um nome de peso para a disputa. Por enquanto, quatro nomes estão em discussão e deve ser definido perto do prazo final das convenções partidárias. Entre eles, o do ex-prefeito de Campo Grande e ex-governador de MS, André Puccinelli, e do deputado federal Carlos Marun.

PSOL
Partido nanico, mas sempre presente nas eleições, este ano não será diferente. O candidato será definido depois dos encontros dos dirigentes para construírem o plano de governo.

Sem decisão

PDT
Partido aliado da atual gestão de Bernal, está fazendo pesquisa para definir sobre o encaminhamento eleitoral. O nome da ex-vereadora Tereza Name é apontado como favorito para disputar a prefeitura. Ela deixou o PSD no mês passado, em última oportunidade de data para filiações partidárias, em 2 de abril.

PSB

Os socialista tinham o médico Ricardo Ayache lançado. Mas o mesmo desistiu da disputa. No momento o partido fala em ter candidatura e se conjuntura lançar a deputada federal Tereza Cristina.

Comentários

comentários