‘Campo Grande na Tela’ em últimas ações terminará pelas Universidades neste mês

As lindas paisagens e personagens marcantes de Campo Grande já foram retratados de várias maneiras em produções locais, mas, por muitas vezes, esses filmes não chegam a grande parte dos campo-grandenses, principalmente aos adolescentes e jovens. Para mudar essa realidade e trazer a memória do cinema de nossa cidade a Marruá Arte e Cultua realiza desde março a mostra “Campo Grande Na Tela”, que conta com recurso do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais).

Esta é a última semana do projeto que começou no fim de março. O IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul), nos dias 21 e 25 às 18h, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), no dia 23 às 9h e 14h, e a Escola Municipal Tertuliano Meirelles, nos dias 23 e 24 às 19h30, terão exibições dos curtas-metragens.

A curadoria foi feita pela fotógrafa e videomaker Elis Regina Nogueira e possui programas diferentes a serem exibidos de acordo com o público alvo de cada instituição de ensino. Importantes diretores sul-mato-grossenses como Joel Pizzini, Cândido Alberto da Fonseca, Essi Rafael, Nathália Tereza, Fábio Flecha, Filipi Silveira, entre outros compõem a programação com filmes que revelam percepções, sentimentos, personagens e cenários da Cidade Morena.

“Nos últimos anos o trabalho da Marruá se aproximou do cinema e da prática audiovisual. De projetos que desenvolvemos surgiram vários curtas. Percebemos que havia um acervo deles bastante relevantes e reveladores sobre a cidade em que moramos. Diante desse repertório pensamos ser importante transmitir esse conhecimento às novas gerações, produzindo mostras para exibição nas escolas e guias pedagógicos para apoiar os educadores realizando debates”, explica Belchior Cabral, coordenador do projeto.

A penúltima escola contemplada

A última mostra aconteceu na Escola Municipal Irene Szukala, no dia 16. Cerca de 600 alunos assistiram os curtas em sessões pela manhã e tarde. “Foi a primeira vez que assistimos filmes feitos em Campo Grande na escola, sempre temos contato com o cinema de Hollywood ou grandes produções nacionais, nada regional. Nessas produções temos a cultura de nosso município e estado representada nas telas, foi muito interessante”, afirma a diretora adjunta da escola Katia Silene.

Os filmes revelam cenas, muitas vezes, distantes da realidade dos alunos, o que tornou as exibições um momento de prazer e aprendizado, mostrando desde os povos indígenas e quilombolas que vivem na Capital, história de Campo Grande, por meio do olhar peculiar e certeiro do fotógrafo Roberto Higa, à acontecimentos singulares de uma caçada ao tesouro, passando por obras de ficção, animação e documentários.

“Eu gostei muito de ‘Enterro, porque fala sobre ganância – no filme três matutos vão atrás de um baú do tesouro no meio da mata – achei muito bem feito, a história bem contada. Quero conhecer mais o cinema daqui”, revela a estudante de 13 anos Ticiana Pieddade.

Após cada sessão será promovido um debate com diretores, atores, produtores, jornalistas, entre outros profissionais comprometidos com o cinema local, juntamente com professores da escola e os alunos. Todas as mostras serão abertas ao público.

Serviço – O IFMS fica na rua Taquari, 831, Santo Antônio; Na UFMS as exibições acontecerão no Teatro Glauce Rocha; a Escola Municipal Tertuliano Meirelles fica na rua Ancieto da Costa Rondon, 340, Caiçara.

Comentários