Campo Grande inicia planejamento para Liga das Nações 2020

Da Redação

Divulgação

A segunda feira (23) foi dia de planejamento para as equipes da Prefeitura, Governo do Estado e Confederação Brasileira de Voleibol que organizam a Liga das Nações 2020 na etapa de Campo Grande. Essa foi a primeira reunião para definir o cronograma de ações até o dia do evento confirmado para 19, 20 e 21 de junho de 2020, momento que será reinaugurado o Ginásio Guanandizão.

Numa parceria com o Governo do Estado, a Prefeitura está reformando o ginásio poliesportivo. Um investimento de R$ 1,8 milhão, que será ampliado em mais R$ 1,2 milhão, para atender as adequações cobradas pela CBV para Campo Grande sediar uma etapa da Liga das Nações.

O prefeito Marquinhos Trad, que pessoalmente se envolveu nas articulações para trazer a etapa da Liga das Nações, destacou a importância do evento com repercussão mundial, mas lembrou o legado que deixará para Campo Grande. “Com as adequações que serão feitas no Guanandizão, a cidade terá um ginásio poliesportivo em condições de receber qualquer competição de amplitude nacional”.

Antes do encontro na Governadoria, o diretor da Confederação Brasileira de Voleibol, Renato D´Ávila,  acompanhado do secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços, Rudi Fiorese e do presidente da Funsep, Rodrigo Terra, visitou as obras de reforma do Ginásio Guanandizão onde as partidas envolvendo Brasil, Itália, Alemanha e Rússia, serão disputadas.

Segundo D´Ávila, todo o trabalho será feito para este ser o melhor evento. “Nesta primeira visita tratamos de todo o contexto do evento e como o Brasil é o país- sede, buscamos os parceiros nos Estados para ajudar a cumprir com os itens do caderno de encargos. A partir de agora teremos várias agendas até a execução do evento, e essa parceria entre estado, prefeitura e confederação é fundamental”.

Na avaliação do evento, a Liga das Nações, será “uma oportunidade para as pessoas terem contato com o esporte de alto nível e o Brasil é líder do ranking, além de termos países que são ponta no voleibol mundial e precisamos preparar tudo a contento para deixar um legado na memória das pessoas e uma motivação para a juventude jogar e treinar”.

O diretor-presidente da Funesp, Rodrigo Terra, lembra os caminhos para chegar a aprovação de Campo Grande. “A escolha é fruto do empenho da Prefeitura, que já havia anunciado a intenção de trazer à Capital os jogos da seleção, e a reabertura do Guanandizão não poderia ser com um evento menos importante que a Liga das Nações”, explicou.

Mais eventos

Para o Presidente da Federação de Voleibol de Mato Grosso do Sul, José Eduardo Amancio da Motta, a expectativa é receber cada vez mais eventos nacional em Campo Grande. “A Liga das Nações é um evento muito importante para nós, para o voleibol tendo em vista que desde 2004 não tem a presença de uma seleção brasileira, e com a entrega do Ginásio Guanandizão,  além da Liga, que é um evento mundial, poderemos realizar novos eventos regionais, nacionais e internacionais”.

Campo Grande receberá a última etapa dos jogos em casa, na preparação para as Olimpíadas de 2020, na qual a seleção já está classificada. A última vez que a seleção esteve em Campo Grande foi em 2004, quando venceu Portugal pela Liga Mundial.

Comentários