Campo Grande cresce para o alto: somente este ano foram emitidos habite-se para 16 prédios

Dados da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) atestam que o crescimento vertical de Campo Grande tem se acelerado. De 2014 a 2019 foram emitidos 48 alvarás para edificação de imóveis verticais multiresidenciais, com mais de 100 unidades e somente neste ano, até o fim de outubro, foram emitidas 16 cartas de Habite-se relacionadas a grupo de apartamentos.

O presidente do Secovi-MS (Sindicato da Habitação de MS), Marcos Augusto Netto, explica que os edifícios são parte da estratégia para adensamento das regiões que dispõem de melhor infraestrutura na Capital, pactuada na aprovação do Plano Diretor da Capital, que entrou em vigor em agosto deste ano, após três anos de amplo debate com a sociedade organizada.

“É um pacto por Campo Grande. A verticalização é a ferramenta urbanística para atingirmos a densidade urbana ideal na região central”, diz. Além disso, os edifícios também contribuem com a mobilidade urbana, uma vez que ao se posicionarem em regiões de ampla infraestrutura, o fluxo de veículos diminui. “Há menor necessidade de deslocamento, menos trânsito de veículos e maior qualidade de vida”.

 

Comentários