Campo Grande abre licitação para urbanizar Ernesto Geisel

Foi publicado  na edição de  terça-feira (19/05)do Diário Oficial,o edital de licitação de cinco dos seis lotes em que serão divididos as obras de urbanização das margens  e controle de enchentes do Rio Anhanduí, o Parque Linear Anhandui. O projeto contempla também o recapeamento  da Avenida Ernesto Geisel  numa extensão de sete quilômetros,  no trecho entre as ruas Santa Adélia (em frente do Shopping Plaza Norte Sul) e a Avenida Campestre, no Conjunto Aero Rancho.

20urbaniza
Região do rio Anhanduí será revitalizada (Foto: Marlon Ganassin/ Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Campo Grande)

Nessas etapas, o orçamento inicial é de R$ 60,4 milhões. As empresas terão até às 8h do dia 19 de junho para apresentar propostas na concorrência pública, processo que se estenderá por 60 dias. Ficou de fora apenas o lote seis, que é o projeto da ciclovia, pista de caminhada, áreas de convivência e lazer, orçado em R$ 7,7 milhões. O projeto total está orçado em R$ 68 milhões, R$ 40 milhões recurso do Orçamento da União e R$ 28 milhões de contrapartida com recursos próprios.

As obras de controle de enchentes estão divididas em cinco lotes. O primeiro entre as ruas Santa Adélia e Abolição (orçado em R$ 9,8 milhões);o segundo da Rua Abolição até a Bonsucesso (obra estimada em R$ 16,7 milhões); o terceiro entre a Bom Sucesso e a Rua do Aquário (R$ 17,7 milhões); o quarto lote da Rua Aquário até a Avenida Manoel da Costa Lima (R$17,7 milhões) e o quinto lote, da Rua Aquário até a Avenida Campestre(com preço inicial de R$ 5 milhões).  A partir da assinatura da ordem de serviço, os prazos de execução variam  de 18 meses (os lotes  um e três); 30 meses (os ltoes 02 e 4) e 12 meses (os lotes 5 e 6).

O projeto prevê a construção de muros laterais com placas de concreto e sistema gabião que permitirá a drenagem e a urbanização com grama, no trecho entre a rua Santa Adélia e a avenida Manoel da Costa Lima. Deste ponto até avenida Campestre, será executado um serviço de controle de água no canal, com escadarias, dissipadores e obras pontuais nos locais que recebem as águas da chuva que descem dos bairros localizados nas duas margens. Os dissipadores, espécie de degraus colocados no leito do rio, são necessários para reduzir a velocidade da água e melhorar o escoamento.

Todo o sistema de drenagem ao longo do rio será corrigido para pôr fim às enchentes. O fundo do rio não será concretado para garantir sua biodiversidade. Para evitar erosão e manter o leito estabilizado, serão instalados travessões a cada 20 metros. Como a avenida Ernesto Geisel, conhecida como Norte Sul, recebe um grande fluxo de veículos em todo trecho onde haverá intervenção, serão instaladas nas curvas e pontos de risco de defensas metálicas (guard rail) de proteção, evitando queda de veículos.

 

Comentários

comentários