Campeão, a princípio… Joinville segura empate, mas título vai parar nos tribunais

Ao menos em campo, o Joinville é campeão do Campeonato Catarinense. Beneficiado pela vantagem de poder empatar as duas partidas, o JEC garantiu o 0 a 0 com o Figueirense, na Arena Joinville, neste domingo, mas precisará esperar até terça-feira para saber se a conquista será homologado.

Resultado mantém 'em aberto' o Campeonato Catarinense (Foto: Eduardo Valente/ LANCE!Press)
Resultado mantém ‘em aberto’ o Campeonato Catarinense (Foto: Eduardo Valente/ LANCE!Press)

O Tricolor catarinense esperará dois dias para saber se perderá quatro pontos no TJD-SC, devido a uma denúncia de escalação irregular do jogador André Diego. O impasse fez a partida marcada pelo equilíbrio e por confusões terminar com a torcida da casa gritando “é campeão” e receber como resposta um “bicampeão” do Figueira.

Com boa atuação dos goleiros, partida com Figueira termina em 0 a 0 neste domingo. Porém, denúncia por escalação irregular de atleta pode mudar destino do Catarinense

GOLEIROS MANTÊM PLACAR EM BRANCO NA ETAPA INICIAL

Aproveitando a cautela inicial do adversário, o Joinville lançou-se à frente nos primeiros minutos. Marcelo Costa arriscou de longe para defesa de Alex Santana. A dupla Kempes e Tiago Luís tinha espaços, e fazia a zaga do Figueirense se desdobrar para proteger a área.

Aos poucos, o Figueira foi mudando sua postura e equilibrando as ações. E viu sua primeira oportunidade chegar graças a um erro do time da cas. Rogério inverteu mal a bola no setor defensivo e Clayton chegou livre na área. Porém, Oliveira defendeu com o pé.

O JEC respondeu, dando trabalho a Alex Santana em grande estilo. Tiago Luís arriscou e Alex Santana salvou. Na sobra, Augusto César bateu e novamente parou no camisa 1. No lance seguinte, Rogério desviou cruzamento de cabeça, e a bola parou na trave. Clayton teve nova chance para o Figueira, mas Oliveira manteve o primeiro tempo sem gols.

CONFUSÃO MARCA INTERVALO

Se os gols não entraram em campo na etapa inicial, a confusão veio em peso no intervalo. Enquanto iam para o vestiário, jogadores dos dois clubes trocaram ofensas e empurrões, em uma briga generalizada, que parou apenas com a intervenção de policiais. Antes da volta para o segundo tempo, o atacante Kempes, do JEC, e o zagueiro do Figueira, Marquinhos, foram advertidos com cartão amarelo pelo árbitro Sandro Meira Ricci.

VOLUME DE JOGO AUMENTA, MAS PLACAR TERMINA EM BRANCO

O Figueirense escancarou sua postura ofensiva logo na volta para o segundo tempo. Com a entrada do meia-atacante Yago no lugar do volante Dener, a equipe de Argel Fucks dominou de vez as ações. Porém, as oportunidades se resumiam a faltas cobradas por Clayton.

Mais organizado após as entradas de Jael e Wellington Popp, o Joinville teve ótimas oportunidades em cabeçada de Mazola e em finalização de Wellinton Júnior que passou rente à trave. Após ver Marcão Figueira, Clayton arriscou e a bola explodiu em Mazola.

A um minuto do fim, Mazola cabeceou na pequena área, mas perdeu a chance de dar a vitória ao Joinville.

BRIGA E RECUSA A SUBIR A PÓDIO

No fim da partida, houve nova confusão. O técnico Argel Fucks e o filho de um dos dirigentes do Joinville bateram boca e trocaram empurrões. Mas logo a confusão foi apaziguada. O Figueira se recusou a subir para receber as medalhas pelo vice-campeonato.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários