Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 9 de junho

Da Redação/P.F

Foto Divulgação

Quem ainda não se vacinou contra a gripe terá mais uma oportunidade de se proteger contra a doença. O Ministério da Saúde prorrogou a campanha nacional por mais duas semanas, até o dia 9 de junho. As doses da vacina contra a Influenza estão disponíveis na Sala de Vacinas da Cidade Universitária para professores contratados e concursados da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Para a imunização, os docentes devem apresentar documento (carteira ou crachá) para comprovar a função.

A Sala de Vacina funciona nas segundas-feiras, 14 às 20h e, nos demais dias da semana, de terça a sexta-feira, das 10 às 16h. Os membros da comunidade acadêmica que fazem parte dos outros grupos prioritários também podem procurar a Sala de Vacina, que fica localizada na UEMS, no Bloco D, no piso térreo.

Segundo o Ministério da Saúde, nenhum dos grupos prioritários de imunização atingiram a meta de vacinação. Os idosos registraram a maior cobertura vacinal, com 15,1 milhões de doses aplicadas, o que representa 72,4% deste público, seguido pelas puérperas (71,2%) e indígenas (68,6%). Entre os grupos que menos se vacinaram estão as crianças (49,9%), as gestantes (53,4%), os professores (60,2%) e os trabalhadores da saúde (64,2%). Além do grupo prioritário, também foram aplicadas 7,1 milhões de doses em pessoas com comorbidades, na população privada de liberdade e em trabalhadores do sistema prisional.

Grupos Prioritários

Confira os grupos populacionais prioritários selecionados para a imunização contra a Gripe em 2017:

  • Crianças de 6 meses a menores de 2 anos
  • Gestantes (em qualquer idade gestacional)
  • Puérperas (até 45 dias após parto)
  • Profissionais de Saúde (Públicos e Privados)
  • Povos Indígenas – toda a população (a partir de 6 meses)
  • Idosos (com 60 anos ou mais)
  • População e funcionários prisionais
  • Professores (rede pública e privada)
  • Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e com comorbidades 

Vacina

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde em 2017 protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). A vacina contra influenza é segura e também é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

Comentários