Multivacinação começa nesta 2ª feira com quase 600 mil doses em MS

gotinhaaltaUma Campanha Nacional de Multivacinação começa nesta segunda-feira (19) em todo País, com doze dias para buscar uma dose de medicamento para proteção permanente contra dezenas de graves doenças, que podem provocar epidemias, grandes sequelas e mesmo levar a morte a quem não fica imunizado, como no caso da Poliomelite, mais conhecida como paralisia infantil. Entre os dias 19 e 30 de setembro todas as crianças menores de cinco anos e adolescentes de 10 a 15 anos incompletos deverão participar da Campanha.

De acordo com o Ministério da Saúde,  o objetivo é iniciar o cronograma vacinal e também completar as doses que estiverem pendentes para o público-alvo. Para Mato Grosso do Sul foram enviadas 593,4 mil doses que serão distribuídas para os municípios que iniciarão os seus cronogramas de vacinação.

Para 2016, a Campanha de Multivacinação seguirá o novo calendário do esquema vacinal das vacinas contra Poliomelite, HPV, Meningocócica C e Pneumocócica 10 valente. O Calendário Nacional de Vacinação tem alterações rotineiras e periódicas em função de mudança na situação epidemiológica, nas indicações das vacinas ou na incorporação de novas vacinas.

O Ministério marcou para o próximo sábado (24), aquele dia de maior mobilização e disponibilidade de locais para ‘achar’ a vacina. O “Dia D” de mobilização nacional será no durante todo o sábado em todos os Estados, pela  campanha que espera reduzir o índice das doenças imunopreveníveis e também diminuir o abandono à vacinação, que vem ocorrendo nos últimos anos.

Veja as Mudanças deste ano:

POLIOMIELITE – O esquema vacinal contra a poliomielite passou a ser de três doses da vacina injetável – VIP (2, 4 e 6 meses) e mais duas doses de reforço com a vacina oral – VOP (gotinha). Até 2015, o esquema era de duas injetáveis (VIP) e três orais (VOP). A mudança está de acordo com a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e como parte do processo de erradicação mundial da pólio. Vale ressaltar que essa substituição não prejudica a proteção das crianças, que já ficam imunizadas com as três doses injetáveis.

HPV – O esquema vacinal passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. Os estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses. As mulheres vivendo com HIV entre 9 a 26 anos devem continuar recebendo o esquema de três doses.

MENINGOCÓCICA – O reforço, que anteriormente era administrado aos 15 meses, passou a ser administrado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

PNEUMOCÓCICA– Redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente. Passou a ser administrada em duas doses, aos 2 e 4 meses, com um reforço preferencialmente aos 12 meses, que pode ser recebido até os 4 anos. Essa recomendação também foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema três doses mais um reforço.

Comentários

comentários