Caminhoneiros mantêm 37 pontos de interdição em MS mesmo após acordo

Apesar do fim da paralisação anunciado ontem, após acordo entre o governo federal e caminhoneiros, pontos de bloqueio continuam em Mato Grosso do Sul. Segundo balanço divulgado no início desta manhã pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), o manifesto foi encerrado somente na BR-267, região de Guia Lopes da Laguna.

Greve dos caminhoneiros foi deflagrada no início da semana

Nas demais localidades do Estado, segue como estava desde o início da semana. Ainda segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação da PRF, é possível que durante o dia as lideranças que assinaram o acordo convençam parte dos caminhoneiros a deixar o movimento, pois houve concessões por parte do governo federal .

ACORDO

Caminhoneiros e o governo chegaram a um acordo para suspender a paralisação do veículos por pelo menos 15 dias. Em contrapartida, a Petrobras vai manter redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias. Durante este período, as autoridades vão estudar com mais tranquilidade novos meios de reduzir os preços dos combustíveis.

O protesto dos caminhoneiros contra o aumento do diesel provoca transtorno e desabastecimento de combustíveis e de vários produtos em Mato Grosso do Sul. A mobilização, que começou a repercutir no domingo (20), entrou no 5º dia nesta sexta-feira (25).

A categoria quer a redução da carga tributária sobre o diesel. Reivindica a zeragem da alíquota de PIS/Pasep e Cofins e a isenção da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). Impostos representam quase a metade do valor do diesel na refinaria. A carga tributária menor daria fôlego ao setor, já que o diesel representa 42% do custo da atividade.

Comentários