Caminhoneiros fazem protesto na fronteira e alegam prejuízo milionário por greve na Receita

Da Redação/JN

A Linha Internacional será fechada na manhã desta quinta-feira (5/4) em Ponta Porã, pelo retorno dos atendimentos na Receita Federal local. A greve, iniciada no dia 1º de março, vem causando transtorno e atrasos nas entregas dos produtos na cidade faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Movimento promete fechar Linha Internacional – Crédito: Léo Veras/Porã News

O movimento, denominado “A fronteira não pode parar” é organizado por empresários, transportadoras, estivadores, motoristas de caminhões e o setor industrial.

O objetivo da mobilização é promover a volta imediata dos auditores aos seus postos de trabalho.

Os idealizadores da ação entendem e classificam como legítimo o movimento dos servidores federais, porém, alegam que estão cansados de esperar na fila pelos serviços.

Conforme relatado pela organização do protesto, a economia da região tem sofrido prejuízo diário de aproximadamente R$ 5 milhões.

Atualmente 60 carretas permanecem paradas na fila em frente à Receita Federal, aguardando por vistoria.

Indiretamente, donos de postos de combustíveis e restaurantes acabam sendo prejudicados também, porque deixam de prestar os seus serviços para os motoristas.

Comentários