Câmara vota reajuste de Professores em único PL pautado nesta quinta-feira

Professores aprovaram greve na manhã desta terça-feira em assembleia
Professores até entraram em greve novamente, pelo reajuste

O trabalho em sessão ordinária dos vereadores da Câmara de Campo Grande tem pautado apenas um Projeto de Lei para ser analisado e votado nesta quinta-feira (19). A proposta que tem turno único de discussão e votação, se refere ao reajuste dos Professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). Os profissionais da Educação tem PL a parte dos demais servidores, que já foi votado na semana, onde publicamos que inclusive os parlamentares causaram novo “problema” ao prefeito Alcides Bernal, retornando ao aumento dos 9,57%.

Os professores também não tiveram votado o reajuste na última quinta-feira, pois pediram para o PL ser retirado de pauta, com um índice de 2,51%, pois no dia anterior haviam fechado acordo e aceitaram o termo de reajuste com aumento pouco maior de 3,31%, proposto pela prefeitura, mas que é em cima do Piso Nacional, que deve também ser integralizado no inicio de 2017.  O termo de acordo administrativo foi assinado, entre o prefeito e presidente da ACP, na tarde da quarta-feira (11). Hoje, os vereadores analisam, em regime de urgência, o projeto de lei n. 8.274/16, do Poder Executivo, que dispõe sobre a revisão geral de remuneração dos professores da Capital.

Na última quinta-feira (12), na tribuna da Casa, o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre, reiterou o acordo feito no dia anterior, com o prefeito Alcides Bernal, de 3,31% de reajuste, índice que não é considerado ideal pela categoria, mas contempla parte da Lei do Piso com o restante do reajuste pleiteado para o ano que vem. Ele pediu para que fosse retirado da pauta do dia e foi atendido pelo presidente da Casa, João Rocha, que inclusive anunciou ‘na hora’ que durante os discursos, chegou à Câmara a Emenda Modificativa ao PL n. 8.274/16, que estabelece o reajuste dos professores.

Naquele dia, após impasse continuar durante toda manhã, o reajuste dos demais servidores também não foi aprovado na sessão ordinária do dia. Somente após, muito embate e com nova sessão extraordinária no meio da tarde, ocorreu a aprovação do reajuste ao todos os servidores municipal, onde a Câmara cria novo ‘embate’ com prefeito ao voltar e aprovar reajuste de 9,57%, proposto pela prefeitura, mas que havia sido rejeitado pelos vereadores, após pedido do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipal), que representa cerca de 30% da categoria.

Ainda hoje

A sessão de hoje, antes da votação contará com o presidente do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho, André Luiz Ferreira, que fará uso da Palavra Livre para falar sobre a importância da saúde da segurança do trabalho. O convite foi feito pelo vereador Betinho.

Serviço – A sessão acontece a partir das 9h no plenário Oliva Enciso, na sede da Casa de Leis, localizada na Avenida Ricardo Brandão, 1.600, bairro Jatiúka Park.

Comentários

comentários