Câmara terá oito vereadores em inédita participação na transição da prefeitura entre Bernal e Trad

f76e72ec-b511-4408-ae3b-874e940fa7a8
Imprensa pode somente registrar inicio da reunião (Foto: Lúcio Borges)

A briga e imbróglio político-administrativo pela prefeitura de Campo Grande, nos últimos quatro anos, parece chegar ao fim após as eleições municipais, e faltando dois meses para encerrar a administração do prefeito Alcides Bernal. O fato vem ou indiretamente foi anunciado nesta terça-feira, 1º de novembro, com a já nomeação – dois dias após a eleição do deputado estadual Marquinhos Trad, para ocupar em janeiro de 2017, o Paço Municipal – da equipe de transição, que trabalhará entre a atual e a futura gestão da prefeitura. E ineditamente, a Câmara de Vereadores participará do contexto e equipe que fará a passagem transitória da gestão. O presidente da Casa de Lei, João Rocha, anunciou a ação, logo após as reuniões realizadas ontem por Marquinhos com os atuais vereadores e deputados por ‘harmonia e união’ pela Capital, como o Página Brazil noticiou.

Rocha afirmou, logo após reunião, que os vereadores teriam participação via o presidente ou até pelos cinco membros da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, no trânsito dos trabalhos. “Eles repassarão a situação aos demais parlamentares e mesmo a conjuntura será usada por todos para reavaliar a LOA (Lei Orçamentaria Anual) que está em tramitação na Casa”, disse. Contudo, na sessão ordinária, ainda ontem, Rocha anunciou um total de oito vereadores (veja abaixo os nomes) para ir participar da equipe ou reuniões de transição da atual gestão para a futura.

O ato inédito do Legislativo em participar de um processo de transição que se refere diretamente ao Executivo, é uma forma de retorno da atuação e aval político da Casa de Lei, que foi requerido e sugerido ao futuro prefeito, como ele também disse que faria, em reunião ocorrida ontem na sede da Câmara. A aceitação pelo prefeito eleito da inserção da Câmara no processo de transição, confirma a possível mudança de rumos do município, discutida e ratificada por Marquinhos e por Rocha, como ele declara em vídeo da reportagem. O futuro prefeito se reuniu com todos os atuais vereadores, que entre eles 18 não retornaram no próximo ano, para buscar apoio ainda este ano e já amenizar os problemas causados, direta ou indiretamente pelos próprios parlamentares. Como descrevíamos em matérias no decorrer deste ano, os problemas criados entre os atuais Executivo e o Legislativo, só acabariam no fim dos atuais mandatos.

Presidente da Câmara João Rocha em pronunciamento oficial a imprensa (Fotos: Lúcio Borges)
João Rocha em pronunciamento oficial a imprensa (Fotos: Lúcio Borges)

Assim, a visita do prefeito eleito, mesmo a portas fechadas com os parlamentares, tinha o objetivo de estreitar o relacionamento com a Casa de Leis e manter a harmonia entre Legislativo e Executivo.  O ainda presidente, vereador reeleito, João Rocha, avaliou a reunião como extremamente positiva. “O prefeito eleito trouxe essa mensagem de entendimento e nos deixa com a esperança de que a paz volte a reinar, para que Campo Grande volte a crescer e o desenvolvimento volte. Essa Casa sempre esteve e continuará estando à disposição para o melhor para nossa cidade. Quando se vem propor a paz, a paz se faz com ambas as partes”, disse Rocha.

Orçamento 2017 e oito vereadores na transição

A reunião, além da cortesia de já harmonizar os dois Poderes, tinha também como prioridade, o tema de discussão sobre Projetos como a Lei Orçamentária e o Plano Plurianual, que estão em tramitação no Legislativo e devem ser votados até o final desta Legislatura mas são peças fundamentais para a administração que se iniciará em 1º de janeiro 2017.

João Rocha ao falar do encontro pontuou sobre a busca de Marquinhos pelo Orçamento já encaminhado pela atual gestão, devido as regras de Lei, mas que poderá ser modificado. “O discurso foi harmonioso, como a tempos não víamos em Campo Grande. Já no primeiro encontro com os vereadores, Marquinhos trouxe esta mensagem e propôs que a Câmara Municipal participe da transição juntamente com o Executivo. Assim, estabelecemos uma situação inédita de que, na transição com o Executivo, a Câmara também participe já desse momento, principalmente a Comissão de Orçamento e Finanças, para que possamos juntos já ir trabalhando, tanto Executivo quanto Legislativo, no sentido de sermos céleres, para que a partir de 1° de janeiro, já se possa estar estabelecendo as melhores condições, diante mesmo do atual Orçamento”, destacou Rocha.

Após a reunião, durante a sessão ordinária, ainda ontem, o presidente anunciou em Plenário a criação de uma Comissão Especial composta pelos vereadores Carlão, Dr. Livio e Otávio Trad, para que juntamente com a Comissão Permanente de Orçamento e Finanças, composta pelos vereadores Carla Stephanini, Eduardo Romero, Herculano Borges, Mario Cesar e Dr. Cury, participem da transição da administração municipal ao lado do Executivo.

Comentários

comentários