Câmara ratifica reajuste salarial para todas as categorias da área da Saúde

Lúcio Borges

A Câmara de Vereadores de Campo Grande teve hoje (13) uma pauta com regime de urgência, para colocar em votação o reajuste salarial de cinco categorias de servidores da área da Saúde municipal, que vinham há meses em duras negociações e tendo problemas no setor com decisão até de greve que aconteceu, no caso dos médicos da Sesau (Secretaria de Saúde). O Página Brazil divulgou ontem, que o SindMed (Sindicato dos Médicos de MS), havia chegado a um acordo com administração, onde ainda o prefeito Marcos Trad havia se comprometido em enviar a documentação a Casa de Lei, que entrará em recesso. Durante a sessão desta quinta-feira, foram aprovadas por unanimidade, sem alterações, o aumento dos enfermeiros, técnicos de enfermagem, odontólogos, médicos veterinários e médicos – categoria que paralisou serviços entre os dias 26 a 30 de junho, ante até ter sido tentado ser impedido, com liminar judicial conquistada pela prefeitura.

A categoria da Enfermagem, também ‘ganhou’ e viu finalmente ser conquistado a queda de horas trabalhadas no sistema de Saúde da Capital. Além do aumento para o servidores, os parlamentares também aprovaram a redução da carga horária dos enfermeiros para 30 horas semanais. Conforme os termos de compromisso de negociação salarial, os enfermeiros terão a incorporação do reajuste de 36,42% no salário base, que passará de R$ 2067,30 para R$ 2.820,13 e redução da carga semanal, que será de 30 horas semanais.

O acordo do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Enfermagem) aceitou o acordo para fechar o salário-base dos enfermeiros com a incorporação total do abono de R$ 750 e da criação de um abono de referências 13A para os técnicos de enfermagem.

Os quatro projetos foram aprovados por unanimidade entre os parlamentares, com 26 votos. Ao todo são 29 vereadores, mas o presidente da Casa de Leis, João Rocha (PSDB), e o colega Wellington Oliveira (PSDB) faltaram a sessão. Quem assumiu a tribuna foi o vice-presidente da Câmara, Derly de Oliveira (PP), o Cazuza, que assim não vota na condição de chefe da Mesa Diretora no momento.

Reunião ontem, entre membros da prefeitura e SindMed

Reajustes dos outros

Para os médicos, o salário base passa de R$ 2.516,72 para R$ 3.196,61. Durante a assembleia no Sinmed, a categoria voltou por manter a gratificação de incentivo a atenção básica e ambulatorial, no valor de R$ 868,73. A proposta aceita pelo sindicato também garante o plantão chamado “Cinderela”, no período noturno. Neste caso, 50% do efetivo trabalha das 19 horas à 1 hora da madrugada (horário de maior movimento) e a outra metade cumpre plantão normal, de 12 horas.

Já na categoria dos odontólogos, o projeto enviado incorpora ao salário a gratificação de desempenho, no percentual de 31,16%. O salário base passa de R$ 2516,72 para R$ 3.300,93 para 20 horas. Para 40 horas, passa de R$ 5.033,44 para R$ 6.601,86.

Também fica permitida à Coordenação de Assistência Odontológica a redistribuição do número restante de plantões “para uma estrutura mais eficiente”. Já os veterinários terão reajuste de 31,16% no salário base, que passará de R$ 5033,44 para R$ 6.601,86 para 40 horas semanais.

Médicos Veterinários – Reajuste percentual de 31,16% no salário base, passando o valor mensal de R$ 5.033,44 para R$ 6.601,86, para 40 horas semanais.

Comentários