Cãmara promove hoje seminário sobre corrupção e lavagem de dinheiro na Capital

O Juiz-Federal Odilon de Oliveira durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)
O Juiz-Federal Odilon de Oliveira durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)

Com o objetivo de fazer uma profunda reflexão sobre o comportamento das pessoas e como ele influencia a política nas pequenas e grandes atitudes, a Câmara Municipal de Campo Grande promove neste sábado (09), o seminário “O cidadão que devemos ser e a política que devemos ter”.

No evento, que tem inicio a partir das 13h, serão abordados diversas questões, cujo o tema central foca na corrupção e lavagem de dinheiro, com as palestras Apresentação das 10 Medidas Contra  a Corrupção, Ética em Mim, Corrupção: A Verdade por Trás do Ditado “A Ocasião Faz o Ladrão”, entre outros.

Entre os palestrantes está o Defensor Público Estadual Fábio Rombi, o Procurador da República Pedro Paulo Grubits G. de Oliveira, o Palestrante e Psicólogo Rossandro Klinjey e o Juiz-Federal Odilon de Oliveira.

Segundo Odilon, o evento vai debater especialmente sobre a ética, comportamento humano, de servidores públicos e políticos, tendo em vista que a corrupção atrasa o desenvolvimento do país, gera muita desigualdade social, além de fomentar a criminalidade.

“Este é um momento muito oportuno tendo em vista o que vem acontecendo no Brasil, para que possamos discutir sobre a ética do servidor público. É necessário que todos participem, pois é uma oportunidade muito boa para que a sociedade discuta o que vem acontecendo no Brasil. A corrupção em si já é um crime, e muitos delitos são praticados por questão de dificuldade e de oportunidade por diversas pessoas, e por isso é extremamente necessário que a gente trave uma discussão a respeito desses temas”, explica o juiz.

Para participar do seminário é necessário efetuar a inscrição neste link, ou pessoalmente no local. A entrada será 1Kg de alimento não perecível. Mais informações pode ser obtida no telefone (67) 3316-1525.

Paulo Francis

Comentários

comentários