Câmara pode convocar secretario de Saúde por ‘ofensa’ e falta de informação a vereador

airotn PTUma ou várias ofensas a vereadores e um telefone desligado ‘na cara’ do parlamentar Airton Araujo (PT), pode levar o secretario de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, a ser convocado pela Câmara municipal para dar explicações oficiais obrigatória. O petista subiu a tribuna na sessão ordinára desta quinta-feira (30) para relatar o caso ocorrido com ele, e, que soube ainda, andando pelos bairros que o titular da Sesau (Secretaria municipal de Saúde) tem deferido acusações ou xingado os parlamentares por onde passa. Ele pediu providencias da Mesa Diretoria para propor ou acatar um requerimento de convocação de Fonseca. Diversos parlamentares prestaram solidariedade ao colega em apartes, afirmando apoiar a convocação.

Araujo mencionou que estava realizando seu trabalho de fiscalizador e queria informações, quando foi mal atendido pelo agente publico e ainda, em seu dever de secretário, não repassou justificativa para a falta de remédios nos postos de Saúde, na região em que tem base residencia e base parlamentar. “Este secretario tem que vir aqui para explicar sua conduta, como autoridade publica, com o que vem sendo dito sobre vereadores, ou nem isto, sobre a Instituição Legislativa. Como ainda para vir explicar, já que não me atendeu, sobre a falta de remédios nos postos da região sul da Capital. Ele tem que vir aqui em plenário para ser público, já que tem feito isto em todos os lugares, para falar do assunto de sua pasta e mesmo de ataques que vem sendo feito aos vereadores”, discursou Araujo indignado com a atitude de Fonseca.

O parlamentar ainda em fala bem critica apontou que o secretario deveria ir sim aos bairros, mais para cuidar do trabalho de sua pasta e tratar a população com mais educação e zelo. “O senhor – o secretario – não tem que ir em bairros para simplesmente falar mal de vereadores ou quem quer que seja, ir tratar com desrespeito as pessoas. Mas deveria se preocupar com a gestão, com a falta de antibióticos e até de profissionais para mexer, manipular a área. Ele faltou com educação, ao me responder qualquer coisa e em seguida desligar o celular na ‘minha cara’. Faltou com respeito a pessoa do vereador e acima de tudo ao cidadão também comigo e com aqueles que tem que ouvir ele falando besteiras sobre os representantes do povo, que estão querendo respostas da administração, que é um dever dele também”, mencionou Araujo. ivandrofonsecaalcidesbernalbh

Para a colega Carla Stefaninni (PMDB) a atitude não é a primeira vez e tem que ser enquadrada para amenizar o desrespeito. “O destempero do secretario não é novidade também, como tudo de ruim desta administração. Mas, nada mais é que o desequilíbrio emocional e administrativo dele e de toda a gestão. Isto não é novidade, mas não pode ser considerado normal por nós e pela sociedade, tanto como parte institucional, como de cidadania pessoal”, apontou a peemedebista.

Não haverá nada de bom dele, dizem vereadores

O vereador Jamal Salem (PR), que foi titular da pasta, na gestão de Gilmar Olarte, considerado traidor de todos os membros da gestão de Alcides Bernal, lembrou de atitude que também passou na ‘mão’ de Fonseca e que dele não espera nenhum gesto respeitoso. “A falta de respeito dele é a mesma com todos. É da cultura costumeira dele. Este jovem senhor teme ste modo de tratar as pessoas que pedem um dialogo ou acima de tudo explicações que um gestor publico deve ter. Fui vitima dele com exposições em minha passagem pela Sesau. E mesmo como vereador, me pronunciei aqui e ele fez retaliação, perseguição contra mim, por meio e atingindo meu filho que também é medico no município. E os prejudicou pelo o que eu falei aqui no mandato”, denunciou.

O outro petista, Alex do PT, candidato a prefeito, já fez um discurso sobre o tema, mas elevando o tom eleitoral. “Mais uma vez detectamos a falta de respeito, de civilidade e trato com a coisa pública. Por mais que a Educação venha de berço, o que não se vê, tem que ter ou não se nunca faz é um dialogo, um cuidado mesmo que minimo com a harmonia e relação entre os Poderes e instituições”, disse.

Mario Cesar (PMDB), que hoje é um dos principais opositores de Bernal, foi além e sentenciou que não haverá nenhum resultado em convocar o secretario, apesar da prerrogativa da Câmara. “Vou na contramão, mas não vejo nada a fazer com isso, a não ser lamentar muito mais. Sinto muito meu caro colega, por sua situação, mas você se deparou com despreparado, não sabe o que faz e não vai agregar nada, não via fazer diferença, não vai dizer nada que se aproveite em uma convocação ou que trará alguma resolução. Além ou vamos fazer a tribuna se tornar um palanque para este cidadão falar mais besteira para nós ouvirmos e nos deixar, deixar o senhor vereador mais nervoso e indignado”, avaliou o vereador que já foi presidente da Câmara.

Comentários

comentários