Câmara perde e novos não serão ‘salvador da pátria’, avaliam vereadores da Capital

Vereador não reeleito Roberto Durães (PSC) criticou duramente o eleitor que se vendeu (Fotos: Lúcio Borges)
Vereador não reeleito Roberto Durães criticou duro, o eleitor que se vendeu (Fotos: Lúcio Borges)

A despedida, o lamento, alertas ou cobranças ao eleitor e agradecimentos marcaram os discursos nesta terça-feira (4), a primeira sessão da Câmara de Vereadores de Campo Grande, após eleição que reprovou 62% dos atuais parlamentares. A votação no domingo, elegeu 18 novos membros para Casa, reconduzindo ainda 11 vereadores atuais, que agradeceram os votos recebidos para a reeleição, refletindo o próprio desempenho, que na maioria também não foi grandioso, como ainda de colegas não reeleitos, sendo lembrados e lamentados por não retornarem na próxima legislatura. Muitos, ainda, se disseram surpreendidos com o resultado, apesar de todo o contexto de brigas e paralisação do município, apontando a Câmara com parte de culpa da situação.

Os que ganharam recebiam cumprimentos, mas também meio constrangidos, não festejavam abertamente. A avaliação geral é que a eleição foi difícil e que ensinou ou deve refletir no futuro da cidade, bem como de todo o País. Contudo, os vereadores vencedores e vencidos, direta ou indiretamente, dispararam contra os eleitores, com cobranças de acompanhar a politica como um todo e não jogar todo mundo no mesmo ‘saco’ da negatividade, como apontou Vanderley Cabeludo (PMDB), que não foi reeleito.

“O povo é sábio em sua escolha eleitoral de uma forma ou de outra, e, tem que ser ou continuar sendo para cuidar da política em geral e dos que dela a faz, que foram eleitos. Porque não adianta eleger e depois de dois meses já não lembrar mais e após algum tempo ou quando aparece algo negativo, só reclama e sai colocando todo mundo no mesmo patamar, no mesmo saco estragado”, comentou Cabeludo a imprensa e em especial em vídeo gravado ao Página Brazil.

Cabeludo, que tinha certa visibilidade e estava na Câmara a dois mandatos, se disse surpreendido com o resultado e espera que os novatos façam por merecer, bem como aponta que irá continuar dando sua contribuição política a Capital. “Não esperava mesmo. Alias pensava e as pesquisa diziam que seriamos reeleitos e bem. Mas não deu, o povo quis

Vereadores reeleitos são cumprimentados
Vereadores reeleitos são cumprimentados

mudar ou as novidades chegaram e se destacaram muito mais, como vemos e fui surpreendido. Espero que os que chegam ou todos que estarão aqui, vejam esse resultado e trabalhem com tudo e mais, no que disseram. Eu vou continuar também dando minha contribuição política por nossa cidade. Não precisa ter cargo para continuar a fazer o que sempre fizemos”, completou o vereador do PMDB, que somente elegeu dois parlamentares ante cinco que tem atualmente.

Câmara perde e quem chegará, não será salvador da pátria, dizem vereadores

O vereador Airton Saraiva (DEM), que com cinco mandatos, não entrou na disputa este ano, alegando pensar novo projeto, para ser deputado estadual em 2018, fez um afago aos colegas ao ‘se despedir’. Ele em discurso oficial avaliou que o Parlamento municipal perde com a saída de muitos decanos na Casa, que estão a uma, duas décadas na cadeira. “Aos que perderam, digo que saem com dignidade, trabalhando, fiquei triste acima de tudo com tantas referências de bons vereadores de história e serviço prestado a politica e a cidade, que não estarão mais aqui. A Casa e o município perderam. Não é só os muitos anos que tem de mandato que tem que ser avaliado, mas o que fez, faz e faria a mais pro aqui”, disse. “Não sei se seria reeleito também, após este tormento que foi armado ou se tornou Campo Grande”, completou.

Vereador reeleito Airton Araujo (PT)
Vereador reeleito Airton Araujo (PT)

Para Aírton Araujo (PT), único petista reeleito ante três que foram eleitos no passado, a democracia é isto e todo o resultado, para toda a classe política é uma lição. Mas, que a grande novidade eleita tem que tomar cuidado para horarem os votos e colocação que receberam, entrando sem salto alto e querendo ser os ‘donos’ da cidade. “A avaliação foi feita e todos os problemas aqui da Capital e do Brasil refletiram. Mas, todos os eleitos e não eleitos, todos os políticos local, regional ou nacional tem que avaliar e repensar. Contudo, os que chegarão não pensem eles ou a população, que serão os salvadores da Pátria. Não tem e não terá nenhum herói, eles não podem e não farão tudo. Assim, e muito menos, podem chegar pensando que são os donos da futura situação”, disse.

Vencedor eleito e vencedor não eleito

Os vereadores Carlão (PSB) e Dr Cury (SD), apesar do primeiro ter sido reeleito e o outro não, fazem a mesma avaliação positiva e de vencedores do pleito eleitoral. “Agradeço por minha reeleição, a toda população que reavaliou e reconheceu todo nosso empenho, nos dando novo mandato. Fico triste pelo julgamento do povo a outros colegas, que muitos mereciam ser reeleitos e continuar o trabalho que exerciam”, disse o socialista.

“Eu sou vencedor, de mais 600 candidatos ganhei de 90% e fiquei no 18º lugar no geral, mostrando o meu legado. A eleição foi muito difícil, nova com muitos concorrentes e a coligação interfere com o quociente que não nos colocou no mandato. Meu potencial e legado deixou feliz, porque os que me seguem veem e reconheceram isso. Sem falar pelo pouco tempo que exerci o mandato aqui”, avaliou Cury.

Comentários

comentários