Câmara cria “Semana de Valorização do Patrimônio Histórico e Cultural de Campo Grande”

Lúcio Borges

Orla ferroviária da Capital

O mês de aniversário de Campo Grande, em agosto, a partir deste ano passa a contar com uma Semana de Valorização do Patrimônio Histórico e Cultural da Capital. A ação deve acontecer em uma autorização dada pela Câmara de Vereadores a prefeitura para ter livre iniciativa de organizar programação para tal iniciativa. A Semana foi pelos parlamentares aprovada na sessão ordinária desta terça-feira (2), em um Projeto de Lei 8.431/17 para instituir a deferência e exaltar o nosso Patrimônio Histórico e Cultural. O texto do PL de autoria do vereador Otávio Trad (PTB), aponta que a nova Legislação vai permitir que os locais tombados como patrimônio histórico da cidade, sejam não só preservados, mas também se tornem locais de apresentações culturais fomentando turismo na cidade e oferecendo à população mais opções de lazer.

Contudo, tudo irá acontecer se o Poder Executivo colocar em pratica programação pelo município. Mas, ao menos, já tem garantido algo a acontecer no âmbito do Legislativo ou por promoção participativa do mesmo, que já foi anunciado pela direção da Casa. “Visamos e pensamos que isto irá contribuir com a preservação da História e da Cultura de Campo Grande, por meio das ações previstas, que tem o intuito ou devem valorizar o Patrimônio Histórico da cidade. Bem como os artistas que nela vivem e têm na Capital sua inspiração para criar e mostrar a arte aos campo-grandenses, que por consequência ensina e proporciona Cultura e Lazer”, avalia o vereador Otávio.

A prefeitura, o projeto deu autorização e prevê que durante período de sete dias, no mês de agosto, entre outras coisas, em especial, sejam incluídas no calendário escolar e realizadas palestras e oficinas na Rede Municipal de Ensino (REME), para apresentar aos alunos os imóveis e bens que constituem o patrimônio histórico do município. Como também, serem desenvolvidas atividades culturais nesses locais aos estudantes, como população em geral.

Feira Central que tem o Soba como patrimônio cultural imaterial

“Isto mexe com os adultos e faz as novas gerações ou todos aprenderem sobre onde vivem, tendo  em vista que muitos dos patrimônios e sua história são desconhecidos da nossa sociedade/população. O projeto propõe assim, ações que irão contribuir no sentido dar visibilidade a este locais”, explica o autor do PL.

Eventos e busca patrocínio

As apresentações culturais realizadas serão definidas pelo Poder Executivo Municipal, que poderão abranger todos os gêneros artísticos como teatro, dança, artes circenses, espetáculos musicais, exposição de artes plásticas assim como mostras de artes audiovisuais, entre outros. Ainda de acordo com projeto, caberá ao Executivo Municipal desenvolver e divulgar a programação das apresentações culturais e selecionar os artistas que irão se apresentar.

A Semana deve ter todas as apresentações e forma gratuita ao público. Assim, a prefeitura também foi liberada para buscar parcerias com outros órgãos públicos, como empresas privadas ou profissionais ligados ao meio artístico, para poder executar as atividades com intuito da Semana, que sejam ligadas ao tema do ‘Patrimônio’.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na Câmara

Como forma de ampliar o projeto, o vereador Otávio Trad sugeriu ao presidente da Câmara, vereador João Rocha, que sejam desenvolvidas exposições de artes na Casa de Leis durante a Semana de Valorização do Patrimônio Histórico e Cultural de Campo Grande, a fim de trazer estudantes da REME para que possam conhecer mais sobre os patrimônios históricos da cidade. O pedido foi aceito e programação deve ser divulgada em breve.

Comentários