Café com Negócios apresenta Estratégias para empresas sustentáveis

O bate papo matinal irá falar como estão sendo desenvolvidos negócios sustentáveis em Campo Grande

Na próxima terça-feira (29), às 7h30 da manhã, será a 27a edição do ‘Café com Negócios – Sabor, Conhecimento e Networking’. O encontro deste mês trará quatro profissionais de ramos diferentes para falar sobre o mesmo assunto: “Estratégias para empresas sustentáveis”. Os convidados são: o secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), Luis Eduardo Costa, o diretor da Porto Plast Indústria de Plástico e da Berpram Ambiental, Fabrício Berton, a proprietária do Les Amis Bistrô, Ana Seemann e a
professora da Escola de Administração e Negócios (ESAN) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Adriane Queiroz.

A intenção do encontro é colocar no mesmo ambiente diferentes pontos de vista sobre uma questão fundamental para a atualidade que é a geração de riqueza e renda com o menor impacto ambiental. O grupo foi escolhido por representar a academia, a gestão púbica e a iniciativa privada. A professora, Adriane de Queiroz, por exemplo, trabalha com estratégias e tensões na sustentabilidade e afirma que as empresas podem dar o primeiro passo nesse sentido ao alinhar a expansão do negócio a um modelo mais ‘gentil’ com o meio ambiente. “A partir da missão, visão e valores é possível combinar e conectar as ideias ao desenvolvimento sustentável”, destaca a pesquisadora.

Para ela, a sustentabilidade precisa entrar em todo o processo de produção, para que as práticas sejam sincronizadas e deixem de ser ações isoladas. “Há a possibilidade de otimizar atividades sem se distanciar do objetivo do empresário que é obter lucro, fazendo com que no cotidiano a empresa tenha um propósito consciente e responsável.”, ressalta Adriane de Queiroz.

Durante o Café com Negócios, Adriane promete apresentar as experiências vividas no exterior para seu pós-doutorado. “Uma prática sustentável notável nos Estados Unidos é o apoio ao fornecedor local, essa valorização representa prosperidade ao empreendedor e uma vida mais saudável.”, afirma.

Adriane ressalta ainda práticas que já podem ser notadas no Brasil, como as chamadas B Corporate. “Temos um movimento nacional que veio importado de outros países que são as empresas conhecidas por seus empreendimentos sociais. Elas também visam lucro, mas nascem e se constituem intencionalmente para fazer o bem.”, destaca a professora.

Palestrantes

Adriane de Queiroz é professora da Escola de Administração e Negócios (ESAN) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). No momento realiza pós-doutorado na Darden School of Business da Universidade da Virgínia, EUA. Co-fundadora e membro do Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade e Energia Eficiência da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia (FAENG) da UFMS. Sua pesquisa, na área de Sustentabilidade, gira em torno da ação para o bem maior, incluindo tópicos como comportamento transformador, relacionamento, inovação social e soluções sustentáveis.

Luis Eduardo Costa é arquiteto e urbanista, secretário municipal da Secretaria de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) e Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul (CAU). Formou-se em arquitetura e urbanismo em 1994. Foi professor universitário por oito anos, vice-presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) de Mato Grosso do Sul e diretor da Federação Nacional dos Arquitetos.

Fabrício Berton é formado em Administração de Empresas pela Uniderp, diretor da Porto Plast Indústria de Plástico e da Berpram Ambiental e membro da diretoria do Sindicato das Indústrias de Plásticos e Petroquímicas de Mato Grosso do Sul (Sindiplast MS).

Ana Seemann é proprietária do Les Amis Bistrô, no negócio atua com o movimento Slow Food Brasil, que visa promover uma maior apreciação da comida, melhorar a qualidade das refeições e uma produção que valorize o produto, o produtor e o meio ambiente. Atualmente possui a horta Flor do Cerrado, que é um projeto Agroflorestal, com objetivo de produzir alimentos através do cultivo agroecológico, ou seja, reúne agricultura à preservação ou recomposição ecológica.

Comentários