Bolsonaro tem 39% dos votos válidos e Haddad, 25%, diz Datafolha

Pesquisa divulgada quinta-feira, 4, pelo Datafolha mostra que o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, aumentou sua vantagem em relação aos demais concorrentes. Ele alcançou 35% das intenções de voto, 3 pontos porcentuais a mais do que na sondagem passada, feita na terça-feira passada.

Bolsonaro e Haddad polarizam a disputa Foto reuters

O melhor desempenho de Bolsonaro é entre os eleitores de maior renda, onde registrou um aumento de nove pontos nas intenções de voto, chegando a 53% do segmento. Na sequência, aparece o candidato do PT, Fernando Haddad, que foi de 21% para 22%, de acordo com a nova pesquisa.

Ciro Gomes (PDT) permaneceu com 11%, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) caiu de 9% para 8%. Em quinto lugar, aparece Marina Silva, da Rede, com 4%, sem alteração na comparação com a pesquisa anterior. Marina está empatada tecnicamente com João Amoêdo (Novo, 3%), Alvaro Dias (Podemos, 2%), Henrique Meirelles (MDB, 2%) e Cabo Daciolo (Patriota, 1%).

Com esses resultados, Bolsonaro aparece agora com 39% dos votos válidos – quando são excluídos brancos, nulos e indecisos. A dois dias da realização das eleições, o presidenciável do PSL está a 11 pontos porcentuais de vencer a disputa ainda no primeiro turno. Na mesma comparação, Haddad tem 25% dos votos válidos.

Veja as simulações para o segundo turno

A pesquisa divulgada pelo Datafolha também fez simulações para o segundo turno das eleições. Os primeiros colocados na sondagem, Bolsonaro e Haddad empatam tecnicamente – 44% e 43%, respectivamente. Mas o candidato do PSL perderia para Ciro Gomes (42% a 48%) e empataria na margem de erro com o presidenciável do PSDB (42% a 43%).

Os índices de rejeição de Bolsonaro ainda são os mais altos – 45% do total, mas Haddad se aproxima dele, com 40%. Ciro Gomes tem 28% de rejeição e Alckmin, 24%.

A pesquisa ouviu 10.930 eleitores em 389 cidades brasileiras entre anteontem e ontem. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos.

Comentários