Bolsonaro que visitou MS em 2016, deve voltar em Julho, mas agora como ‘presidenciável’

Lúcio Borges

Imagem da visita e evento no ano passado.

O ‘polêmico’ deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pretenso já candidato a presidência da República em 2018, estará novamente em Mato Grosso do Sul neste ano, provavelmente no mês de julho, a menos de um ano de sua visita ao Estado, para lançamento em junho de 2016, do deputado estadual Coronel David dos Santos, então candidato do partido à prefeitura de Campo Grande. A vinda ao Estado, apesar de fora de época para campanha eleitoral, já será um meio de mostrar ou ir apresentando o ‘candidato’ para ficar mais conhecido. O objetivo e a agenda ainda a confirmar para os dias 13 a 15 de julho, foi anunciada no fim da manhã desta terça-feira (2), pelo parlamentar da AL-MS (Assembleia Legislativa de MS). O parlamentar carioca, vem a MS, em primeiro momento, até oficialmente como deputado para  comemorações aos 150 anos da Retirada da Laguna, que acontecerá no município de Nioaque, onde ele prestou serviços militar, em base local.

O social cristão carioca, além de suas falas polemicas, no ano passado no MS, como vive fazendo por todo Brasil, como principalmente na Câmara dos Deputados, onde cumpre mandato, já mencionava possível concorrência. Apesar de ainda não ter se lançado oficialmente, ele já vem em campanha, onde se alavanca ou ratifica futura candidatura, com concretização mais visível, que vem aparecendo a cada pesquisa de institutos nacionais, que o colocam dentre os presidenciáveis, até em segunda posição, bem abaixo, mas atrás do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Bolsonaro, que em junho passado, em MS, declarou   ‘cumprir missão’ pelo País que deve ter menos direitos e mais deveres , segue na pretensão mesmo sendo réu no STF (Supremo Tribunal Federal) pelos crimes de incitação ao estupro e injúria, que se condenado, pode nem lhe permitir a disputar o cargo.

Conforme o deputado David, o carioca no ano passado ou em toda vez que fala de MS, lembra de sua passagem pelo Estado, como servidor militar, declarando desejo de rever local e pessoas com quem conviveu. Assim, aproveitando a oportunidade das comemorações, quer fazer a agenda ao menos no dia 13 de julho, que acontece o evento. “Bolsonaro já está se programando e deve ir a Nioaque, onde serviu como militar do Exército no início da década de 1980, para participar de comemorações alusivas a um dos principais episódios da guerra do Paraguai, que ficou conhecido como ‘retira da Laguna’. Ele quer fazer parte do evento por sua importância e para cumprir desejo e promessa de retornar ao local”, mencionou o deputado estadual.

Já na parte político eleitoral, David destacou ou falou abertamente que objetivo é mostrar a potencial possibilidade do PSC lançar o deputado federal como candidato a presidente da República nas eleições de 2018, onde a previsão é que o colega carioca, cumpra ao menos agenda em Campo Grande no dia 14 de julho, e no dia seguinte, 15, no município de Três Lagoas. “Queremos falar do possível ou futura candidatura que vem sendo lançada por muita gente, onde as pesquisas vem ‘falando’ e colocando como na ultima -DataFolha- em segundo lugar nacional. E aqui em MS, queremos mostrar a possibilidade de assumir a liderança no Estado, pois apresentando a pessoa em si, a população vai acostumando ou queremos ir fazendo acontecer para ser conhecido pessoalmente e não só por ‘ouvir falar’ ou pela mídia, que já lhe rende a preferencia”, declarou o deputado.

Questões no Brasil e candidaturas nacional e estadual

Coronel David, que foi comandante da Polícia Militar em MS, que vem sendo defensor ferrenho do colega como candidato, fez discurso com base no que Bolsonaro também já vem declarando que o País perdeu rumo, pois não há mais lideranças ou chefe da Nação com pulso e decisões firmes. “O Brasil tem que voltar a ter pessoas com pulso firme e que foi perdido acima de tudo na última década e que nos faz muita falta. Vejamos o que ou qual situação atual. Tem muitas questões no Brasil que precisam ser revistas, e o Bolsonaro tem pulso firme para resolver isso. A gente vê muito discurso socializado e intelectualizado, mas na prática a população precisa de ações diretas”, alegou o ex-comandante.

Ainda segundo David, com a possibilidade do PSC ter candidato à presidência, o partido pode também lançar concorrente ao governo estadual, ou apoiar outro candidato que dê liberdade à legenda para fazer campanha para seu ‘presidenciável’, posto ocupado hoje por Bolsonaro. “Vamos convidar/conclamar simpatizantes para programar e participar destes eventos e atos agora e para dar continuidade e mostrar nosso presidenciável, que se necessário vamos colocar candidatura nos estaduais para sair junto. O que não impede também futuras composições/alianças com outros candidatos regional”, finalizou.

Comentários