Bolsonaro embarca para viagem ao Japão, à China e ao Oriente Médio

G1/JP

O país será o primeiro destino de um giro que Bolsonaro fará pela Ásia e pelo Oriente Médio nos próximos 12 dias. O presidente deve retornar a Brasília no próximo dia 31.

Além do Japão, onde participará de uma cerimônia do imperador Naruhito, o presidente passará por China, Emirados Árabes, Catar e Arábia Saudita.

A viagem é a segunda de Bolsonaro por Ásia e Oriente Médio. Ele esteve em junho no Japão, para o encontro do G20. Em abril, o presidente visitou Israel e chegou a criar uma polêmica ao dizer que o nazismo era de esquerda.

Agenda econômica

Bolsonaro pretende aproveitar as próximas duas semanas para ampliar as relações comerciais do Brasil com países da Ásia e do Oriente Médio.

Assim, terá uma agenda de encontros com empresários, integrantes de famílias reais e lideranças políticas, como o presidente da China, Xi Jinping. A China é o principal parceiro comercial do Brasil.

De acordo com o governo, o Brasil tem interesse em apresentar oportunidades para investidores japoneses, chineses e árabes. O objetivo é aumentar as exportações de produtos do agronegócio e de defesa.

O governo ainda pretende divulgar a carteira do Programa de parceiras de Investimentos (PPI), o programa de concessões do governo.

O PPI conta com ativos na área de infraestrutura, como ferrovias, portos, aeroportos, rodovias e exploração de óleo e gás. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, responsável pelo PPI, integra a comitiva de Bolsonaro.

Segundo o governo brasileiro, há especial interesse nos investimentos de fundos soberanos dos países árabes.

Comentários