Bolsonaro chega PEN como pré-candidato a presidente

Da Redação/JN

De acordo com o presidente do PEN, Bolsonaro escolheu a legenda por ser uma das poucas que não está envolvida na Operação Lava-Jato.

Para garantir legenda na disputa pela presidência da República em 2018, o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) decidiu trocar o Partido Social Cristão (PSC) pelo Partido Ecológico Nacional (PEN). A decisão foi confirmada nesse domingo, mas a data da filiação será agendada nesta semana.

Bolsonaro posou para foto com o presidente do PEN e um cachorro (Foto: Divulgação )

“A gente já vinha estudando os ideiais e projetos dele, o potencial, e já estávamos pedindo a Deus que viesse para o PEN. Deus abençoou e ele veio”, afirma o presidente do PEN, Adilson Barbosa.

Segundo Barbosa, o novo integrante da legenda já chega como pré-candidato a presidente. “A candidatura já era nata, a gente até precisa de uma candidatura assim. Para mim o que surpreendeu é que ele não exigiu muita coisa o que exigiu, na verdade pediu, foi que tivesse a possibilidade ser candidato presidente”,conta.

De acordo com o presidente do PEN, Bolsonaro escolheu a legenda por ser uma das poucas que não está envolvida na Operação Lava-Jato. “Participamos de duas eleições, em 2014 elegendo 17 deputados e um suplente e, em 2016 fizemos três vezes mais que a Rede de Marina Silva: 524 vereadores 14 prefeitos mais de 30 vices”, comemora Adilson Barbosa.

Segundo o dirigente, o povo está querendo mudança e o PEN é um partido com novas lideranças.

Questionado sobre qual afinidade Bolsonaro teria com um partido “ecológico”, Adilson Barbosa disse que é apenas um nome. “Defendemos a sustentabilidade na economia, saúde, segurança, na fauna e na flora. Não focamos na ecologia radical, mas na na sustentabilidade”, disse.

Ao Estadão, Bolsonaro disse que está 99% acertado com o PEN e que a filiação será anunciada em breve. “É um noivado nota 10. Estamos, inclusive, estudando a mudança do nome do partido. Em poucos dias devemos selar esse casamento”, disse. Embora a filiação esteja acertada, segundo o partido, Bolsonaro já esteve “quase casado” com o PSDC de José Maria Eymael e com o partido em formação “Muda Brasil”.

Comentários