Boca de Cena apresentou dramaturgia de Anton Tchekhov na noite de quinta-feira

Da Redação/P.F

Foto Divulgação

A Boca de Cena – Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro e Circo 2017 apresentou na noite desta quinta-feira (25), no Teatro Prosa do Sesc Horto, o monólogo “Os Malefícios do Tabaco”, com o Grupo Identidade Teatral.

A peça é uma mistura de duas obras do russo Anton Tchekhov: o monólogo “Os Malefícios do Tabaco” e o conto “Um entre muitos”. Segundo o ator Marcos Alexandre, as pessoas não conseguem muito perceber a diferença entre uma e outra obra, porque nas duas os protagonistas se lamentam da vida que levam”.

Marcos disse que sempre teve vontade de fazer monólogos. “Primeiro li os contos do Tchekhov, depois li várias peças dele. Mais tarde, já no curso de Artes Cênicas da UEMS – concluído em 2014 – me aprofundei mais. A peça fala para uma plateia, achei mais verossímil para encenar”.

A peça estreou em 2014, já está em sua nona temporada e foi contemplada com financiamento do Fonteatro (Programa Municipal de Fomento ao Teatro, da Prefeitura de Campo Grande). A supervisão cênica é de Cristiane Araújo; iluminação de Camila Jordão; operador de iluminação Stefen Abrego; sonoplastia de Jonas Feliz; em cena, Marcos Alexandre, com texto de Anton Tchekhov.

O Grupo Identidade Teatral existe desde 1994, e tem voltado suas produções para peças mais leves, como comédias e peças infantis. Produziu em 2013 o Festival da Comédia. A escolha por textos cômicos veio da busca pela proximidade com o público, como uma forma de aproximação.

Professor de teatro nas escolas estaduais Joaquim Murtinho e General Malan, Marcos Alexandre acha fundamental essa aproximação da arte com a educação. “A arte tem que passar pela vida das pessoas de alguma forma, ou fazendo ou fruindo. O teatro, quando você possibilita ao aluno ter contato, ele pode usar como ferramenta para a própria vida, abre a mente, deixa a pessoa mais sensível e questionadora”.

Sobre a participação na Mostra Boca de Cena, ele diz que foi uma experiência diferente. “O público é caloroso, muitos jovens, bastante interessante isso. Hoje a densidade foi um pouco maior, talvez pela energia. As pessoas estão vindo ver, prestigiando as peças do nosso Estado. O teatro sul-mato-grossense tem caminhado com pernas resistentes”, finaliza.

O Boca de Cena – Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro 2017 continua suas atividades nesta sexta-feira, com Diálogo Cênico, às 13 horas, na Escola Municipal Professor José de Souza; peça “Os Três Porquinhos”, às 14h30, também na Escola José de Souza; “Super Tosco”, às 16 horas, na Praça Ary Coelho; bate-papo na UEMS com o palhaço Chiflete, da Haravicus Cia de Teatro de Mendoza/Argentina e, às 20 horas, “Velhos caem do céu como canivete”, da Pequena Companhia de Teatro, do Maranhão, no Teatro Prosa.

Comentários