Boa alimentação é essencial para estudante ter aprendizado de qualidade, afirma ministro

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Ontem (21), o Brasil comemorou o Dia Nacional da Alimentação nas Escolas. A celebração da data reforça a importância da introdução de bons hábitos alimentares desde os primeiros anos de vida das crianças. “A alimentação escolar é um item fundamental para que tenhamos crianças motivadas na escola”, diz o ministro da Educação, Mendonça Filho. “Uma criança que não esteja adequadamente alimentada não vai ter a condição de aprendizado necessária em sala de aula.”

A tese é reforçada pela merendeira Aparecida Silva. “Os alunos precisam muito de uma alimentação de qualidade, principalmente para o desempenho escolar”, afirma a profissional, de 52 anos, que trabalha há 20 na Escola-Parque 308 Sul, em Brasília. “Alguns alunos chegam à escola sem comer e não conseguem realizar as atividades. Eles têm de se alimentar para ter força para fazer tudo.”

Com o objetivo de melhorar as condições nutricionais e de aprendizagem dos estudantes, foi criado, em 1955, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que promove ações de educação alimentar e nutricional e oferece refeições nutritivas aos alunos da educação básica das redes públicas de ensino. Somente este ano, 41 milhões de estudantes foram atendidos, em 155 mil escolas. O Ministério da Educação já repassou R$ 2,7 bilhões em 2016 para o programa, com previsão, até o fim de dezembro próximo, de um total de R$ 3,6 bilhões.

Pelas diretrizes do Pnae, 30% dos recursos devem ser investidos na aquisição de alimentos oriundos da agricultura familiar. Com isso, já foi detectado crescimento médio de 3,4% ao ano em valores investidos em gêneros alimentícios resultantes dessa atividade no programa. Além da evolução anual do volume de recursos, o número de prefeituras e secretarias estaduais de educação que têm aderido à aquisição cresce na mesma proporção.

Prioridade — Considerado um dos maiores programas na área de alimentação escolar do mundo, o Pnae será fortalecido em 2017. “O Pnae é um programa vital para o Brasil, é uma prioridade que será encarada já no início do ano letivo de 2017”, disse Mendonça Filho.

Para o próximo ano, será lançado edital sobre educação alimentar e nutricional (EAN), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, para identificação de projetos e iniciativas, nessa área, junto aos alunos do ensino médio e as universidades. Também está prevista a realização da Jornada de Educação Alimentar e Nutricional, que envolverá escolas de educação infantil. Com o mesmo tema, serão promovidos um seminário internacional, em parceria com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), e um curso na modalidade de educação a distância para conselheiros da alimentação escolar.

Comentários

comentários