Blitze em frente a quartel apreende 40 motos irregulares com militares

Uma ação conjunta entre Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e Exército Brasileiro apreendeu 40 motocicletas irregularidades em duas blitzes realizadas nas redondezas dos batalhões. O objetivo da operação foi regularizar a situação dos motociclistas militares.

Operações em conjunto devem continuar, conforme Agetran
Operações em conjunto devem continuar, conforme Agetran

De acordo com o balanço divulgado pela Agetran, na Avenida Presidente Vargas, na manhã desta quarta-feira (17), foram abordadas mais de 170 pessoas e 83 condutores foram autuados.
Deste total, 30 pessoas foram notificadas por dirigirem sem possuir CNH (Carteira Nacional de Habilitação), 16 por permitir posse/condução do veículo à pessoa sem CNH e nove autuações por conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatórios. Ao todo, 23 motocicletas foram encaminhadas ao pátio do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito).

Segundo a Agetran, na quinta-feira passada, foi feito um pente-fino aos motociclistas que passavam pela Rua dos Andradas, nas redondezas do CMO (Comando Militar do Oeste). Na data, foram mais de 80 abordagens e 17 motocicletas foram removidas ao Detran.

Foram 20 autuações de motociclistas que pilotavam sem possuir CNH, 12 por conduzir veículo em mal estado de conservação e 10 por permitir posse/condução do veículo à pessoa sem habilitação. As operações em conjunto devem continuar conforme a necessidade, segundo o órgão.

As operações foram realizadas nas proximidades dos quartéis, pois os militares não podem entrar nas dependências com veículos irregulares. Com isso, muitos motociclistas acabavam deixando as motocicletas irregulares nas redondezas.

“O exercito já tem suas medidas para conter os grandes índices de acidentes. Mas, observamos a existência de algumas motocicletas estacionadas em frente dos quartéis com ligações militares. Por isso essa parceria com a Agetran e PM é importante, nós temos que dar o exemplo e diminuir as irregularidades no entorno das áreas militares”, reforçou o Major Flavio Mick.

Comentários

comentários