Bernal sugere que 13º depende da Câmara destrancar a pauta

Durante o lançamento do “Programa de Prevenção e Redução da Criminalidade” do governo do Estado, na manhã desta quarta-feira (02/12), na praça do Rádio Clube, em Campo Grande, o prefeito Alcides Bernal (PP), declarou que, “caso a pauta de projetos do Executivo na Câmara seja ‘destrancada’, com a votação do projeto sobre o emprego dos depósitos judiciais – devidos principalmente para o pagamento de precatórios -, ele se compromete “a pagar a primeira parcela do 13 dos servidores municipais agora em dezembro”.

Bernal durante o lançamento do "Programa de Prevenção e Redução da Criminalidade" do governo do Estado Foto Silvio Ferreira
Bernal durante o lançamento do “Programa de Prevenção e Redução da Criminalidade” do governo do Estado Foto Silvio Ferreira

Com a declaração – uma forma de pressionar à Câmara pela aprovação da proposta – Bernal argumentou que os recursos dos depósitos judiciais (aproximadamente R$22 milhões, dos quais R$20 milhões são “carimbados”, relativos à precatórios, segundo informações do vereador Eduardo Romero) “ajudarão a compor o montante necessário para o pagamento da primeira parte do direito dos servidores”.

Na manhã desta quarta-feira (02/12), o novo presidente ds Câmara, vereador Prof.João Rocha (PSDB), anunciou que pediu “ao prefeito que retire o projeto da pauta” – que nesta terça-feira (01/12) completou o prazo máximo de tramitação na Casa, de 45 dias – “corrija os problemas na proposta relacionadas pelos vereadores e o reapresente.” João Rocha chamou a proposta de “uma solução salomônica” encontrada para permitir que novas propostas do Executivo possam ser analisadas.”

Logo mais às 19h, o prefeito Alcides Bernal pretende apresentar a prestação de contas dos 90 dias de administração e anunciar novas medidas administrativas, no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), em Campo Grande.

Comentários

comentários