Bernal espera suspeição de desembargador na segunda-feira para voltar à Prefeitura

Na próxima segunda-feira (3), a partir das 14 horas, será realizada mais uma sessão ordinária da 1ª Seção Cível. Dentre os processos em pauta está o de nº 1405631-42.2014.8.12.0000, no qual será analisado pelos desembargadores se há impedimento ou não do desembargador Sérgio Martins da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça no julgamento de processo que questiona a legalidade do Decreto Legislativo n. 1.759/14, que cassou o mandato do então prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), no dia 13 de março de 2014. Sem a possibilidade de julgar o mérito da liminar.

Ex-prefeito aposta no acolhimento do pedido de suspeição do desembargado
Ex-prefeito aposta no acolhimento do pedido de suspeição do desembargado

Ainda conforme o Tribunal, depois de julgado a exceção de suspeição, o rito do processo segue e a liminar teria de entrar na pauta novamente da 1ª Seção Cível, sem previsão de data para julgamento.

Bernal aposta no julgamento de uma exceção de suspeição, do desembargador Sérgio Martins  para que ele seja impedido de julgar a ação na qual apela para retornar à Prefeitura.

Segundo a defesa de Bernal, Sérgio Martins, que decidiu pelo arquivamento da decisão do juiz David de Oliveira, que o havia reconduzido ao cargo, não seria eticamente o mais adequado a fazer tal julgamento, visto que teria, segundo o ex-prefeito, ligações com envolvidos na Operação Lama Asfáltica, da Polícia Federal e da Controladoria-Geral da União. Ele alega que Sergio Martins é ex-vereador do PMDB e foi indicado ao cargo por André Puccinelli e já foi sócio de André Puccinelli Jr..

O ex-prefeito avalia que os áudios da Polícia Federal, gravados na Lama Asfáltica, e do Gaeco, na Operação ADNA, são suficientes para provar que a cassação dele não foi política.

Comentários

comentários