Bernal entra com recurso “Extraordinário”e pode ocupar vaga de Tereza Cristina

Silvio Mori

O ex-prefeito de Campo Grande, Alcídes Bernal (PP), entrou com um recurso “Extraordinário” no Superior Tribunal Federal para validar os votos que obteve nas eleições de 2018. Bernal concorreu a uma vaga na Câmara Federal e obteve mais de 47 mil votos, mas não foram computados.

De acordo com o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Mato Grosso do Sul, Bernal está inelegível e por isso seus votos não foram computados. No recurso, a defesa do ex-prefeito questiona o entendimento de inelegibilidade, com base na segurança jurídica das decisões. “Primeiro porque a questão da inelegibilidade já foi apreciada em 2014 e 2016 quando Bernal disputou as eleições para o Senado e a prefeitura (reeleição) e em ambas as ocasiões prevaleceu o entendimento de que não se aplicava a Lei da ficha limpa para o caso específico dele”, explicou o advogado de Bernal,  Wilton Edgar Sá.

Bernal e a defesa acreditam que até o final deste mês deva ter um parecer em relação ao recurso apresentado, caso seja acatado e os votos válidos, o ex-prefeito pode ocupar a vaga de Tereza Cristina (DEM), que assumiu o Ministério da Agricultura, deixando a vaga para seu suplente.

Caso consiga, Bernal configura como segundo suplente com 47 mil votos, o primeiro suplente Geraldo Rezende (PSDB), também não assumiu a vaga, já que foi convidado pelo governador Reinaldo Azambuja a assumir a Secretária de Saúde do Estado. Em terceiro lugar, vem Bia Cavassa, até então anunciada como a contemplada com a vaga deixada por Tereza, ela obteve pouco mais de 17 mil votos.

Bernal disse ao Página Brasil que está tranquilo e aguarda o resultado mais breve possível. “Tenho confiança na justiça, essa situação é muito clara e também, pública e notória. E digo mais, Corumbá não ficará sem representante. Embora eu tenha sido prefeito da Capital, eu sou de Corumbá”, disse.

 

Comentários