Bernal admite que deve pagar 13º em janeiro

A prefeitura de Campo Grande afirmou que não tem dinheiro em caixa para pagar o 13º dos servidores, que segundo a prestação de contas apresentada nesta quarta-feira (7), soma aproximadamente R$ 100 milhões. Conforme os números divulgados, há um déficit no orçamento de R$ 554.073.000.

Bernal e equipe apresentam números nesta quarta

“Como não há uma cobrança de alcançar essas metas, essas metas ficam superestimadas e acabam criando uma ilusão que depois acaba sendo frustrada em relação a não realização dessa receita”, afirmou o secretário de Receita e Finanças, Disney Fernandes.

Para pagar a folha extra, a prefeitura aposta nos pagamentos antecipados do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e nas negociações com quem tem dívidas com o município. O salário referente ao mês de novembro a prefeitura diz que pagará nesta quarta-feira.

“Nós estamos trabalhando para efetuar o pagamento do 13º e até o final do ano vamos apresentar, o fato é que Campo Grande tem dificuldade financeira como todo país está vivendo. Em face dos problemas na cidade nós estamos com problemas de caixa, mas o nosso trabalho de viabilizar o pagamento ainda neste ano, se não o pagamento, os recursos necessários para o pagamento o mais tardar na primeira quinzena de janeiro”, afirmou o prefeito Alcides Bernal (PP).

Para 2016, o orçamento previsto era de R$ 3.454.073.000, mas na prática, a prefeitura só tinha disponíveis para usar R$ 2.900.000.000, R$ 554 milhões a menos.

Outra situação que afeta o cofre municipal, segundo o secretário, é o pagamento da empresa que faz a coleta de lixo e a limpeza pública na cidade. A CG Solurb conseguiu na Justiça receber, todo mês, 20% dos repasses do ICMS e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) como garantia de cumprimento do contrato.

Apesar disso, a prefeitura diz que a dívida oficial do município é baixa: R$ 394 milhões, o que equivale a 14,71% da receita corrente líquida. O limite máximo de endividamento permitido por lei é de até 120%.

Ao chegar no evento, o prefeito foi cobrado por profissionais da saúde a falta do repasse para o Fundo Municipal de Cultura. De acordo com a categoria, há pelo menos 3 anos não é honrado o compromisso. Bernal garantiu que não vai deixar o cargo sem fazer o pagamento.

Comentários