Beneficiados com gratuidade terão que passar por reconhecimento facial nos ônibus

(Foto: Paulo Francis)
João Rezende Filho, diretor do Consorcio Guaicurus(Foto: Paulo Francis)

Os usuários isentos da tarifa do transporte coletivo de Campo Grande como idosos e portadores de deficiência serão obrigados a passar por um sistema de identificação facial nos ônibus da Capital. A medida está no Decreto n. 12.698, publicado no Diário Oficial de ontem(11), tem o objetivo de combater a fraude no sistema e faz parte do contrato de concessão, firmado em outubro de 2012 com o Consórcio Guaicurus.

De acordo com o diretor de transportes da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janini de Lima Bruno, os ônibus da Capital já utilizam há algum tempo as câmeras de segurança em seu interior e através das imagens já era possível identificar a utilização da gratuidade de forma indevida, porém essa verificação era feita de modo pouco eficiente. “Hoje o aluno tem a gratuidade, quanto o idoso, o deficiente e seu acompanhante, entre outros, e muitas pessoas fazem o mau uso do cartão, cometendo diversas irregularidades. Temos casos de um colega utilizar o cartão do outro, o neto usa o cartão do avô, o irmão que não tem deficiência usa o cartão do que tem, a própria mãe usa o cartão do filho que é aluno, e esse sistema visa justamente combater esse mau uso”, explica.

O diretor do Consorcio Guaicurus, João Rezende Filho, explica que um software foi adquirido pela empresa, e fará a comparação da imagem do banco de dados com a imagem registrada na catraca. Quando o ônibus for recolhido para a garagem da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), os dados serão transmitidos automaticamente via radio para um banco de dados, onde será feita a comparação das fotos. Um relatório será emitido e funcionários irão analisar as imagens que não forem compatíveis, e caso ficar comprovada que outra pessoa utilizou o beneficio o cartão será bloqueado. “O cidadão que tem o beneficio concedido pelo município e através de lei federal, tem o direito da gratuidade mas também tem o dever de fazer um bom uso. Porem ao longo desses anos, através de fiscalizações manuais, registramos um grande numero de ocorrências, especialmente o beneficio sendo utilizado por terceiros. O que tem de novo agora, é que o usuário ao passar pela catraca, seja no ônibus ou em qualquer terminal de integração, ao aproximar o cartão do leitor deverá olhar para a câmera posicionada a sua frente para que seja feita o registro. Alerta-se para que a pessoa não esteja utilizando óculos escuros, boné, chapéu, ou qualquer outro tipo de acessório que dificulte a visualização do rosto do usuário, para que o mesmo não sofra penalidades futuras”, conta.

Todos os veículos do transporte coletivo já estão equipados com as câmeras de identificação, os funcionários vão orientar as pessoas para a utilização correta, e o período de adaptação já está em vigor. Porém será necessária a atualização cadastral para deficientes e acompanhantes, os estudantes serão atualizados somente no final do período escolar. Já os idosos terão que renovar os cartões conforme os prazos de validade.

Dados – Somente neste primeiro semestre, no período de 1 de janeiro a 31 de julho, 480 cartões foram recolhidos nas mãos de terceiros. Neste período foram realizadas 32.400.000 viagens pagas contra 8.107.000 viagens gratuitas em Campo Grande, ou seja, aproximadamente 25% dos usuários não pagam a passagem.

Paulo Francis

Comentários

comentários