BB atende apelo de Federações e vai liberar R$ 23 milhões de capital de giro via FCO

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A partir da próxima semana, o Banco do Brasil de Mato Grosso do Sul vai disponibilizar R$ 23 milhões do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) para capital de giro voltados às pequenas e médias empresas dos setores industrial e comercial do Estado. A linha de crédito é um pedido dos presidentes Sérgio Longen (Fiems), Edison Araújo (Fecomércio) e Alfrendo Zamlutti (Faems) e do superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça, ao superintendente estadual do Banco do Brasil, Evaldo Emiliano de Souza.

Segundo Evaldo de Souza, na próxima semana deve ser assinado o termo de cooperação entre o BB, Fiems, Fecomércio, Faems e Sebrae/MS. “Com o objetivo de atender a maior quantidade possível de empresas dos dois setores, o Banco do Brasil vai limitar o teto máximo do financiamento a R$ 200 mil por estabelecimento com taxa de juro de 0,91% ao mês e com até seis meses de carência para começar a pagar. A nossa intenção é beneficiar entre 300 e 500 empresas, possibilitando um fôlego de fim de ano para o empresário pagar o 13º salário ou fazer a aquisição de matéria-prima, utilizando um financiamento mais barato do mercado, pois não tem IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e nem taxa de abertura de contrato”, reforçou.

Ele explica que a assinatura do termo de cooperação será feita após a aprovação da operação pelo CEIF/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). “Estamos nas tratativas finais com o presidente do CEIF/FCO, Jaime Verruck, para que seja liberado o uso desses recursos como capital de giro puro, pois, na essência, os recursos do FCO têm de ser utilizados para investimentos. Porém, fizemos uma análise de aplicação a pedido do presidente Sérgio Longen e verificamos a possibilidade de alocar esses R$ 23 milhões até o dia 31 de dezembro deste ano”, detalhou.

Para o presidente da Fiems, ao atender esse pleito das Federações, o Banco do Brasil demonstra que está alinhado com a proposta de estimular a competitividade das empresas do Estado. “O BB é um parceiro e, desde a chegada do Evaldo de Souza, vem demonstrando entender o anseio dos empresários de todos os setores produtivos de Mato Grosso do Sul”, declarou, prevendo que o CEIF/FCO não deve colocar empecilhos para a concretização dessa proposta acertada entre Fiems, Fecomércio, Faems, Sebrae/MS e Banco do Brasil.

Comentários

comentários