Barcelona não dá chances para o River e conquista terceiro mundial em sete anos

Durou apenas 35 minutos o sonho do River Plate de interromper o predomínio dos clubes europeus no Mundial de Clubes da Fifa. Quando Lionel Messi abriu o placar em Yokohama, a vitória do Barcelona, amplo favorito, já estava sacramentada. O River Plate, valente até ali, não conseguiria reverter. E com mais dois gols de Luís Suárez no segundo tempo, o Barcelona fez 3 a 0 e venceu seu terceiro mundial desde 2009.

Jogadores comemoram o gol de Lionel Messi que abriu o placar em Yokohama. Foto: Shaun Botterill - FIFA/FIFA via Getty Images
Jogadores comemoram o gol de Lionel Messi que abriu o placar em Yokohama. Foto: Shaun Botterill – FIFA/FIFA via Getty Images

Suárez terminou o Mundial como artilheiro e melhor jogador da competição com cinco gols. Esta foi sua primeira participação no torneio e se igualou a Lionel Messi, com cinco gols somados edições de 2009, 2011 e 2015, e César Delgado, do Monterrey, nas edições de 2012 e 2013. Suárez tem 24 gols em 24 jogos nesta temporada.

A última vez que um time argentino comemorou um título mundial foi em 2003, quando o Boca Juniors superou o Milan. Desde então, Boca (2007), Estudiantes (2009), San Lorenzo (2014) e River Plate (2015) pararam na final para rivais europeus. Desde que a Fifa adotou o atual formato do torneio, em 2005, apenas São Paulo, Internacional e Corinthians interromperam o domínio europeu. Nas últimas nove edições, só o time do Parque São Jorge triunfou.

Em Yokohama neste domingo, o River Plate adotou postura agressiva no início da partida. Pressionou o Barcelona em seu campo na expectativa de abrir o placar e aí segurar. Mas não conseguiu furar a defesa rival. Quando cansou, deu espaço para o Barcelona e aí não teve mais o que fazer na partida.

No primeiro gol, Neymar fez boa jogada dentro da área e tocou para Messi dominar (a bola toca levemente no braço) e tocar no canto de Barovero, que já havia feito uma ótima defesa.

No segundo tempo, o River Plate voltou com time mais ofensivo com as entradas de Lucho González e Gonzalo Martínez nos lugares de Rodrigo Mora e Leonardo Ponzio. Com mais espaço, o Barcelona não demorou para ampliar depois de passe de Busquets que deixou Suárez na cara do gol aos quatro minutos. O placar foi definido aos 22, depois de cruzamento de Neymar na cabeça do uruguaio.

O Mundial de Clubes segue no Japão em 2016. Em 2017 e 2018 ele volta para os Emirados Árabes Unidos, sede das edições de 2009 e 2010.

IG

Comentários

comentários