Barça “cascudo” faz Bayern ter desafio bem maior do que só parar Tridente

Neymar de um lado, Messi do outro e Suárez pelo centro. Mas não é só isso. O Barcelona vive excelente fase defensiva quebrando recordes no clube e faz parecer missão impossível à necessidade de goleada do Bayern de Munique, nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), na Allianz Arena, na partida de volta da semifinal da Liga dos Campeões – Barça está em vantagem de 3 a 0 -.

O time de Luis Enrique tão poderoso ofensivamente tem também a melhor defesa do Campeonato Espanhol e entre os remanescentes da Liga dos Campeões. Sem sofrer gol 32 dos 57 jogos da temporada (56% das partidas), o time alcançou feito jamais conseguido em outra ocasião com mais de 50 partidas na temporada.

O placar que o Bayern de Munique precisa, por exemplo, ao menos para ir aos pênaltis não foi conseguido por nenhum outro time diante do Barça na temporada. As piores derrotas são os 3 a 1 para o Real Madrid e o 3 a 2 para o PSG. Ambas no ano passado.

No duelo de ida no Camp Nou, o Bayern de Munique até ficou mais com a bola – 53% contra 47% – só que o time de Guardiola sequer deu um chute em direção ao gol de Ter Stegen dada a eficácia defensiva do Barça. Nesta terça, o time catalão repete o mesmo time da ida, tendo como pilar defensivo a primeira linha formada por Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba.

“Se só atacássemos não ganharíamos jogos como estamos ganhando. Necessitamos do time todo para ter esse equilíbrio e isso encontramos. Existe coordenação entre os setores”, disse o orgulhoso Luis Enrique na véspera do jogo ao ser perguntado sobre o sucesso da defesa.
O treinador tem papel fundamental na evolução defensiva. Basta ver que a primeira linha titular do time é a mesma da última temporada. Sob o comando do argentino Tata Martino, o Barcelona sofreu 45 gols, em 59 jogos (média de 0,76 por partida). Com Luis Enrique, o time levou 31 gols, em 55 jogos (média de 0,56 por partida).

A marca defensiva do atual Barcelona se assemelha a melhor conseguida na era Guardiola, quando na temporada 2010/2011, ano de conquistas do Espanhol e da Liga dos Campeões, o time levou 36 gols, em 60 jogos (0,6 por jogo).

“Eles se defendem muito bem, mas o problema maior é a qualidade no contra-ataque. Gostaria de marcar um gol a cada vez que chegarmos com a bola. Só que quanto mais rápido a bola vai ao ataque, mais rápido ela volta. O Barça se converteu na melhor equipe do mundo em contra-ataques”, analisou Guardiola.

“Se o Guardiola disse isso me parece fantástico. Vejo como um elogio. A nós realmente não interessa uma partida louca. Preferimos ter a bola, mas em alguns momentos jogaremos com o contra-ataque para provocar danos”, destacou Luis Enrique.

UOL

 

Comentários

comentários