Bandido envolvido na morte de ex-vereador morre em troca de tiros com polícia

Diogo André dos Santos Almeida, 19 anos,, acusado de envolvimento no assassinato do ex-vereador de Campo Grande Cristóvão Silveira de 65 anos e da esposa dele, Fátima Silveira, de 56 anos,morreu em Corumbá, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, na tarde desta quarta-feira (19), durante troca de tiro com a polícia.

Caminhonete das vítimas foi recuperada em barranco após troca de tiros e capotagem (Foto: Carla Salentim/ TV Morena)

Ele e outro comparsa trocaram tiros com as Polícias Civil e Militar em Corumbá por duas vezes. Na primeira, Diogo e o outro suspeito estavam na L200 do ex-vereador. Ambos sofreram acidente e conseguiram escapar dos policias.

As buscas continuaram durante a tarde e Diogo acabou encontrado com o outro rapaz. Na abordagem, houve nova troca de tiros e ele acabou ferido. Ele foi levado para a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O outro suspeito conseguiu fugir, segundo a Polícia Civil. Sem ser identificado, ele teria ficado encarregado de levar a caminhonete do ex-vereador até a Bolívia.

A suspeita da polícia é que o crime tenha sido planjeado há uma semana. Até o momento, cinco pessoas foram presas por suposto envolvimento no duplo homicídio. Os primeiros foram o caseiro da chácara do casal e os dois filhos dele.

O CASO

Segundo o Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChoque), o caseiro e dois filhos foram presos. A caminhonete foi recuperada após troca de tiros e capotagem após sete quilômetros de Corumbá.

A polícia foi avisada que em um bar na área rural da MS-080 havia um homem ferido, com sangue e dizendo que havia sido assaltado e foi para a região. O homem alegou, em um primeiro momento, que tinha sido assaltado e foi levado para atendimento médico.

Após as buscas, os corpos foram achados em um galpão. Com os depoimentos contraditórios, o suspeito foi preso e confessou a participação dos demais envolvidos. Um dos presos em Anastácio estava com alguns objetos roubados, dentre eles um televisor.

A Polícia Militar (PM) procura agora os dois ocupantes da caminhonete roubada das vítimas, que parou em barranco da BR-262 após troca de tiros. No sítio do casal havia porta arrombada e muitas manchas de sangue.

Do crime, participaram Rivelino Mangelo, de 45 anos, os dele filhos Alberto Nunes Mangelo, 20 anos, e Rogério Nunes Mangelo, de 19 anos, além de Diogo e mais uma pessoa.

Rivelino trabalhava como caseiro no sítio Bem Te Vi, que fica a 24 km da MS-080, na região do Distrito de Aguão, município de Campo Grande. No local, também moravam as vítimas.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Repressão a Rouba a Banco, Assantos e Sequestros (Garras).

De acordo com Câmara Municipal de Campo Grande, Silveira foi vereador por cinco legislaturas, entre 1997 e 2012.

Comentários

comentários