Bancos suspendem crédito consignado a servidores públicos federais

Os bancos privados suspenderam as operações de crédito consignado para servidores públicos federais. A interrupção do serviço se deu após o suposto envolvimento da Consist no esquema da Lava-jato.

Agência bancária (Foto: Ilustração)
Agência bancária (Foto: Ilustração)

A empresa foi contratada pela Associação Brasileira dos Bancos e pelo Sindicato Nacional das Empresas Abertas de Previdência Complementar para gerir o software que autoriza pagamentos consignados de servidores federais, com o aval do Ministério do Planejamento.

A CBN teve acesso a comunicados reservados distribuídos por três bancos – Itaú/BMG, Bradesco e Bom Sucesso – para avisar os gerentes sobre o bloqueio das operações.

A medida afeta todas as operações de crédito – tanto para quem deseja realizar um novo empréstimo, quanto quem precisa refinanciar ou fazer a portabilidade, e prejudica funcionários da ativa, aposentados e pensionistas. Como é o caso da servidora do Ministério da Educação que pediu para não ser identificada. ‘Fui lá hoje, só que não consegui nada e está tudo parado. Foi alguma coisa a ver com a Operação Lava-jato’, afirma.

A suspensão é por tempo indeterminado. Mas para quem já fez um empréstimo não muda nada – o desconto da parcela prevista no contrato continuará sendo feito normalmente.

Em nota, a Febraban confirmou que o crédito consignado está suspenso, pois os bancos estão revendo a participação no convênio firmado entre a Associação Brasileira de Bancos e as autoridades públicas.

Ainda segundo a nota, os bancos estão colaborando com o Ministério do Planejamento na migração para um novo sistema de processamento das folhas de pagamento.

Também em nota, o Ministério do Planejamento informou que o convênio com a Cosist foi suspenso e que, em 30 dias, toda a operação de crédito passará a ser feita pelo Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados.

CBN

 

Comentários

comentários