Bancários tentam nova negociação de reajuste e fim da greve nesta terça-feira

Greve completou 21 dias nesta segunda-feira; nova reunião para definir empasse acontece nesta terça-feira (Foto: Divulgação)
Greve completou 21 dias nesta segunda-feira; nova reunião para definir empasse acontece nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

Bancários e patrões voltam a discutir na tarde de terça-feira (26) o reajuste salarial da categoria e o fim da greve, que nesta segunda-feira (26) completou 21 dias seguidos. O encontro acontecerá em São Paulo (SP), assim como os anteriores.

Essa será a 9ª rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos). Os trabalhadores pedem reajuste de 14,78%, mas a propostas dos bancos foi de apenas 7%, valor abaixo da inflação (9,78%).

Além da reposição salarial, os bancários pedem ganho real de 5%, além de outras garantias relativas as condições de trabalho, como segurança das agências, fim das terceirizações e demissões em massa, além do combate à pressão para que metas, consideradas abusivas pelos sindicalistas, sejam cumpridas.

De acordo com levantamento da Agência Brasil, os bancários conseguiram entre 2004 e 2015 aumento real acumulado 42,1% no piso salarial. Na última reunião, a Fenaban ofereceu, além de R$ 7%, abono de R$ 3,3 mil, valores rejeitados. Já entre os pedidos recusados, está a participação nos lucros e resultados.

A greve é nacional e atinge a maior parte das agências do país, segundo dados dos sindicatos. Em Campo Grande, o Seeb-CG (Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região) indica que 110 agências seguem fechadas, número que aumenta para 144 se somadas as unidades dos outros 27 municípios da região que formam a qual corresponde o sindicato.

Já segundo o Sindicato dos Bancários de Dourados e Região, 54 agências estão fechadas em 13 municípios da região de Dourados, incluindo cerca de 600 funcionários de bancos públicos e privados paralisados. Durante a greve, o atendimento físico foi comprometido, mas o autoatendimento continua funcionando normalmente.

Histórico

A greve que completa hoje 22 dias, quase teve uma pequena trégua na semana passada. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), decidiu por via de uma liminar que os bancos deveriam operar com 30% dos serviços oferecidos nas agência. No dia 22 de setembro um Desembargador derruba liminar para a volta do expediente bancário em MS.

A greve dos bancários dura mais de três semanas e continua por tempo indeterminado. Em Campo Grande e região, já são 144 agências sem atendimento – número que representa 90% das 160 unidades existentes, de acordo com o sindicato.

 

Comentários

comentários