Azambuja fala de evento internacional de turismo, recorde da soja e paralisação na Educação

Silvio Ferreira

Na manhã desta terça-feira (10), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) assinou no gabinete itinerante no Parque de Exposições Laucídio Coelho, na Expogrande, juntamente com representantes do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) e a Adventure Travel Trade Association (Atta), o protocolo do lançamento do 1º Adventure Next Latin America, evento que vai ofertar para cerca de 400 pessoas de 70 empresas internacionais, os principais destinos turísticos de Bonito e Pantanal.

Azambuja falou de Turismo, recorde na safra de soja e da “politicagem por trás da paralisação dos administrativos da Educação”. Foto: Portal MS

Segundo Azambuja: “Na disputa para receber o evento, o Brasil venceu o Equador e Chile e Campo Grande vai ser a sede. Uma oportunidade de expandirmos os negócios da indústria do Turismo no estado, que tem muito o que crescer. Para tanto estamos investindo na profissionalização dos trabalhadores do setor e em infra-estrutura das localidades, em especial de Bonito, para que esse investimento seja revertido em desenvolvimento social.”

De acordo com informações da Atta, “o principal objetivo da organização é divulgar o Brasil como destino de aventura, com opções que vão além das atrações radicais, como os ‘destinos de experiência’, a chamada ‘soft adventure’: atrativos para turistas de todos os tipos e idades que buscam destinos mais calmos e com mais ecoturismo.”

Safra de soja
Durante o evento, o governador ainda comemorou o novo recorde na produção de soja no estado. Azambuja afirmou à imprensa, após reunião com representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), que a safra 2017/2018 bateu um novo recorde: 9,5 milhões de toneladas da oleaginosa. Um crescimento de 12% em relação à safra anterior a partir de 2,7 milhões de hectares de área plantada. “Mérito de produtores e pesquisadores, que só temos a comemorar, juntamente com o avanço do turismo no Estado”.

Greve dos servidores administrativos da Educação

Questionado sobre a paralisação dos servidores administrativos da Educação da rede estadual, o governador destacou o “caráter estritamente político” da paralisação: “Não havia motivos para isso. A questão da incorporação já está resolvida, a lei já foi aprovada, tem data marcada e só pode ser feita este ano pelas questões legais. O governo negociou com o Sinfae-MS (Sindicato dos Funcionários Administrativos da Educação em Mato Grosso do Sul) que representa os trabalhadores, mas enfim, nós respeitamos o direito de paralisação.”

Mas ao mesmo tempo destacou: “O que nós não podemos é deixar atrapalhar os nossos alunos. Nós estamos muito bem. Temos o melhor salário de professores do país, avançamos no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, do Ministério da Educação)”[…] “Nós nunca estancamos o diálogo, mas muitas vezes você tem que coibir a politicagem de sindicatos, que através da política, prejudicam os alunos de MS.”

E finalizou: “Nós vamos discutir, tentar voltar às aulas e vamos demonstrar na Justiça a ilegalidade dessa greve. São servidores que tiveram um ganho extraordinário. Quando nós incorporamos o abono, os servidores administrativos tiveram um aumento real que chegou a 17%. Logo, é uma ação política, que nós não vamos deixar que atrapalhe os alunos da rede estadual de MS”.

Comentários