Ativista publica foto minutos após suposto estupro e causa polêmica

Uma ativista descreveu em rede social que foi estuprada minutos após o ataque e polemizou. A sul-africana Amber Amour, 27 anos, publicou no Instagram — onde tem mais de 31 mil seguidores — uma foto do rosto coberto por lágrimas, acompanhada do relato do possível estupro. No texto, ela diz que um rapaz teria praticado o crime no banheiro da casa de um amigo, depois que ela aceitou tomar banho com o suspeito.

8ativista

O relato de Amber, que vive nos Estados Unidos, mas estava em seu país natal para divulgar a campanha “Pare o estupro. Eduque”, causou controvérsia. Houve quem condenasse a sul-africana. “Essa louca mereceu”, comentou um usuário. “Se você lutava contra o estupro e sabia que ele (suposto criminoso) te queria, teria dito não. Neste caso a culpa é sua”, opinou um seguidor.

Outros usuários, porém, saíram em defesa da ativista. “Ninguém merece ser estuprada, não importa a situação. Estupro é estupro”, comentou uma seguidora. “Fique forte. Você é um exemplo para todas as mulheres”, opinou uma italiana.

Houve também quem questionasse a aceitação do convite para tomar banho com o rapaz. “Por que entrar no chuveiro nua com um estranho bêbado?”, indagou uma mulher.

Na descrição do suposto ataque, Amber conta que foi visitar um amigo, Nick, em um albergue. No local, havia um rapaz chamado Shakir, que, segundo o relato da jovem, estava querendo beijá-la “desesperadamente”. Ele parecia bêbado, de acordo com Ambar e, por isso, ela negou ficar com ele, dizendo que já estava se relacionando com outra pessoa.

Shakir teria convidado Amber para tomar banho com ele. “Eu disse sim, porque a água em meu albergue atual é bastante fria e após ter estado doente por dois dias, eu só queria um banho quente”, justificou. De acordo com Ambar, assim que entraram no banheiro, o rapaz insistiu para ela se ajoelhar, mas ela se negou e ele teria ficado mais violento.

Em seguida, então, ela explica que sofreu o estupro, desmaiou e acordou alguns minutos depois enquanto era arrastada pelo suspeito para fora do banheiro. “Tive todos os sentimentos ruins que se sente após um estupro. Vergonha, nojo, sofrimento”, descreveu.(correiobraziliense)

Comentários

comentários