Ataques no RN deixam pelo menos 19 veículos queimados em 20 horas

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte registrou novos ataques a ônibus e postos policiais na madrugada deste sábado (30). Um ônibus foi depredado em Mãe Luíza, na Zona Leste de Natal, na manhã deste sábado. Pelo menos quatro ônibus foram queimados em cidades do interior do Estado durante a madrugada e uma base da PM localizada no bairro das Rocas, na Zona Leste de Natal, também foi alvo de criminosos.

Na Zona Leste de Natal, ônibus foi incendiado no cruzamento da Av. Nascimento de Castro (Foto: G1)
Na Zona Leste de Natal, ônibus foi incendiado no cruzamento da Av. Nascimento de Castro (Foto: G1)

Os ataques a ônibus e postos policiais começaram na tarde de sexta-feira (29). Em vinte horas, 19 veículos, incluindo ônibus e carros, foram queimados no estado. A instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal, é apontada pelo governo como motivo dos atentados. De acordo com a Sesed (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social), 13 suspeitos de envolvimento nos ataques foram presos.

O último ataque aconteceu em Mãe Luíza. Um ônibus da linha 57 foi atacado por um homem encapuzado. O home atirou pedras no veículo e quebrou o para-brisa e a porta. Ninguém ficou ferido.

Uma base da Polícia Militar localizada no bairro das Rocas foi alvo dos bandidos. De acordo com informações da PM, durante a madrugada criminosos tentaram incendiar a base jogando um coquetel molotov no trailler policial. O fogo foi controlado e não chegou a danificar o trailler.

Também na madrugada deste sábado um ônibus escolar que estava estacionado no Centro Administrativo de Mossoró, município da região Oeste do RN, foi incendiado. Os bombeiros foram acionados e apagaram o fogo.

No município de Jardim de Piranhas três ônibus escolares também foram incendiados por volta das 2h. Eles estavam estacionados no pátio da prefeitura. Uma retroescavadeira e um trator também foram queimados.

Prisões

De acordo com a Sesed. treze pessoas foram presas por suspeita de envolvimento nos ataques. As prisões aconteceram em Natal, Macaíba, Parnamirim e Monte Alegre. Com os suspeitos a PM apreendeu motos roubadas e recipientes vazios de combustíveis.

Ataques

Os ataques a ônibus e bases policiais começaram na tarde desta sexta-feira (29). Foram atacados até a noite de sexta cinco ônibus em Natal; um em Parnamirim; um ônibus escolar em Macaíba; outro ônibus escolar em Florânia; dois micro-ônibus – sendo um na BR-304 (Macaíba) e outro na BR-101 (Monte Alegre); dois carros em São José de Mipibu; uma kombi em Currais Novos; e mais um carro em Caicó foram depredados, queimados ou parcialmente incendiados por criminosos, segundo informações confirmadas pelas forças de segurança do estado.

Uma delegacia da cidade de Parnamirim e um posto policial desativado em São Gonçalo do Amarante foram os alvos.

De acordo com o governador Robinson Faria, cinco lideranças de facções criminosas que teriam comandado os ataques foram identificados e transferidos da PEP (Penitenciária Estadual de Parnamirim), localizada na região Metropolitana de Natal. Os detentos foram levados para unidades que o governo mantém sob sigilo. Ainda de acordo com Robinson, o governo está mantendo contato com o Ministério da Justiça acerca dos últimos acontecimentos no estado.

Alerta

A Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania) emitiu um alerta nesta quinta-feira (28) logo após a circulação, em redes sociais, de áudios supostamente gravados por criminosos em resposta à instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal.

No documento, assinado pela Coordenadoria de Administração Penitenciária, está escrito: “Cumprimentando-os, inicialmente, sirvo-me do presente para determinar que todas as direções de unidades prisionais e grupos de apoios, tenham maior atenção às suas unidades e que compareçam às mesmas devido a possíveis motins ou rebeliões que possam acontecer neste final de semana em todo Estado. Diante o exposto, determinamos, também, que as equipes de Agentes Penitenciários deverão ficar de sobreaviso para possível acionamento” (sic).

Já na manhã desta sexta, ainda antes de ocorrerem os ataques, as secretarias de Justiça e Cidadania (Sejuc) e de Segurança e Defesa Social (Sesed)  emitiram uma nota na qual afirmavam que todas as medidas para garantir a segurança da população seriam adotadas e que “o Estado não se intimidará com as ameaças”.

Comentários

comentários