Ataque a tiros no centro de Toronto deixa 3 mortos, incluindo o agressor, e 12 feridos

AFP, NYT, AP, EFE e REUTERS

Autoridades locais dizem que ainda é muito cedo para saber as motivações do agressor, mas não descartam terrorismo; testemunhas contam que ouviram cerca de 20 disparos e o som de uma arma sendo recarregada várias vezes

TORONTO, CANADÁ – Ao menos 12 pessoas, incluindo uma criança, ficaram feridas e duas pessoas morreram na noite de domingo, 22. após um homem abrir fogo em uma avenida movimentada do centro de Toronto. Autoridades locais informaram que o atirador, ainda não identificado, foi morto durante uma troca de tiros e que ainda é muito cedo para saber os motivos do ataque, mas ressaltaram que terrorismo não está descartado.

Police are seen near the scene of a mass shooting in Toronto, Canada, July 22, 2018. REUTERS/Chris Helgren

Segundo o chefe da polícia local, Mark Saunders, uma das vítimas é uma jovem e há uma menina com cerca de 8 anos de idade internada em “estado crítico” em um centro pediátrico. Os outros feridos foram encaminhados para hospitais próximos.

A Polícia de Toronto informou que atendeu a uma chamada por volta das 22h (23h em Brasília) no distrito de Greektown. Um veículo de imprensa local citou uma fonte policial, segundo a qual o suspeito abriu fogo contra os agentes antes de se suicidar. Testemunhas disseram que ouviram cerca de 20 disparos e o som de uma arma sendo recarregada várias vezes.

“Quando temos tantas pessoas feridas por um atirador, é algo sério”, disse Saunders. “Estamos investigando todos as possíveis motivações e não excluímos nenhuma possibilidade.” Um vídeo feito por testemunhas mostra o agressor, vestido de preto, disparando contra o restaurante.

O primeiro-ministro da Província de Ontário, Doug Ford, prestou solidariedade às vítimas em sua conta no Twitter. “Meu coração está com as vítimas e as famílias desse terrível ato de violência armada em Toronto. Obrigado a todos que responderam com rapidez e ajudaram os afetados.”

O prefeito de Toronto, John Tory, advertiu que o ataque de domingo é “prova de um problema com as armas” na cidade. “As armas estão facilmente disponíveis para muitas pessoas”, disse ele em uma entrevista coletiva duas horas após o incidente. “Temos de averiguar o que aconteceu aqui. Não sabemos.”

Tory condenou no Twitter o ataque como “desprezível” e prestou solidariedade às famílias das vítimas. “Hoje, um ato desprezível aconteceu na avenida Danforth, em nossa cidade. Em nome de todos os moradores de Toronto, estou indignado que alguém possa ter cometido um ato tão terrível em nossa cidade e contra pessoas inocentes que se divertiam em uma noite de domingo”, escreveu ele.

Violência
Toronto é a maior cidade do Canadá e seus habitantes estão preocupados com o alto número de ataques a tiros registrados este ano. Cerca de 20 deles deixaram mortos. Historicamente, o país tem baixos índices de violência armada, principalmente se comparado aos altos números registrados nos EUA.

Segundo dados divulgados pela polícia canadense, o total de mortes resultantes de confrontos armados subiu 53% desde janeiro em comparação ao mesmo período de 2017. A cidade registrou 177 ataques a tiros em 2014 e 395 em 2017. A corporação alega que o aumento de casos está relacionado a brigas de gangues locais.

Na semana passada, a Polícia de Toronto começou a implementar um plano para reduzir a violência com armas. A medida inclui um reforço de 200 agentes no turno de 19h às 3h em alguns dos bairros com maior número de ocorrências.

Comentários