Ataque a prédios públicos de Cancún deixou 4 mortos

O número de mortos em uma série de ataques a escritórios do governo em Cancún na terça-feira (18) subiu para quatro, informou o governador Carlos Joaquin, durante uma entrevista a uma TV mexicana na noite de terça. Anteriormente, as agências de notícias citavam três vítimas.

Policiais correm perto do prédio do Ministério Público após disparos nest terça-feira (17) em Cancún, no México (Foto: AP Photo)

Os mortos são um policial e três suspeitos. Outros cinco suspeitos foram presos. “O estado está sob controle e em ordem”, disse Joaquin, acrescentando que forças de segurança federais vão reforçar a região. “Os moradores de Cancún e outros visitantes podem viver suas vidas normalmente.”

O governador, que assumiu o cargo em setembro, descreveu os ataques como uma reação de criminosos por causa da repressão ao crime organizado, que, segundo ele, ficou impune por anos.

Rodolfo del Angel Campos, chefe de polícia do estado de Quintana Roo, disse que os tiroteios começaram no escritório do advogado-geral do estado. A polícia interveio, e o alarme soou quando outras instalações também foram atacadas, ativando a polícia federal e as Forças Armadas.

Um grupo de homens armados atacou a tiros vários edifícios públicos na região central do balneário turístico mexicano.

Os criminosos, que estavam em motos, abriram fogo contra a sede da promotoria do estado para a região norte, os prédios da Secretaria de Segurança Pública e Trânsito, dos Bombeiros e do Centro de Controle, Comando, Cômputo e Comunicações (C4) de Cancún.

Comentários