Assessor de Temer citado em delação pede demissão

José Yunes era assessor e amigo pessoal de Temer (Foto: Divulgação/UOL)

Assessor do presidente Michel Temer (PMDB), o advogado José Yunes, pediu demissão do cargo no Planalto nesta quarta-feira (14) após ter tido seu nome citado no acordo de delação premiada do ex-executivo da Odebrecht Claudio Melo Filho.

O delator afirmou que parte do repasse de R$ 10 milhões feito pela empreiteira ao PMDB, a pedido do próprio Temer, foi entregue no escritório de advocacia de Yunes, em São Paulo.
A demissão de Yunes vem após Marcelo Odebrecht ter confirmado à Lava Jato, segundo a “Folha de S.Paulo”, a versão de Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões.
Yunes, que é amigo pessoal de Temer, afirma na carta de demissão que não conhece o delator e que as afirmações de Melo Filho são “fantasiosas”.
O advogado afirma que a decisão de se demitir foi tomada para poder “preservar minha dignidade e manter acesa a chama cívica que me faz acreditar nos imensos potenciais de meu país”, diz o texto.

Comentários