Assembleia anula escolha de empresa que faria concurso público

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul confirmou hoje (6) a anulação da contratação de empresa para realizar seu concurso público. Havia sido montado licitação do tipo menor preço e a Oppus, do Paraná, havia vencido com o valor proposto de R$ 79,9 mil.

Mochi disse que vai escolher entre três empresas com credibilidade no mercado (Foto: Assessoria/ALMS)
Mochi disse que vai escolher entre três empresas com credibilidade no mercado (Foto: Assessoria/ALMS)

O presidente da Assembleia, deputado estadual Junior Mochi (PMDB), explica que, como no edital não previa um valor mínimo, a comissão do concurso chegou à conclusão que a empresa apresentou um “preço vil”, que não daria para realizar o concurso, por isso toda licitação foi anulada.

A apresentação desses fatos está publicada no Diário Oficial da Assembleia, edição de hoje (6). De acordo com o mesmo artigo do Estatuto Licitatório, está previsto também que os participantes da licitação poderão contestar a decisão.

O presidente da Casa, informou que no dia do pregão presencial, o preço médio estipulado, depois de pesquisas de mercado, era de R$ 662 mil, no entanto a empresa que ofereceu o menor preço, chegou a R$ 79,9 mil, o que corresponde a 12% do valor inicial. Foram apresentados os documentos para análise da comissão, que ontem (05), decidiu anular o processo.

O novo procedimento para contratar a empresa que viabilizará o processo seletivo deve ser por carta convite. Inclusive, Fundação Carlos Chagas, FGV Projetos e CESPE/UnB já teriam recebido esse pedido para verificar qual manifestaria interesse em realizar o certame.

Comentários

comentários