Artistas regionais recebem destaque em festivais e governo promove difusão da cultura em MS

Foto Divulgação

Os artistas regionais foram destaque nos festivais promovidos pelo Governo do estado, por meio da Fundação de Cultura neste ano de 2016. As apresentações trouxeram uma diversidade de expressões culturais com inúmeras ações realizadas para promover a dança, teatro, música, circo, literatura, cinema, entre outros, proporcionando valorização aos artistas e opções de lazer para a população sul-mato-grossense.

atahyde
Secretário Athayde Nery/ Foto: divulgação

O secretário Athayde Nery, avaliou que o ano de 2016 foi de grandes desafios e frisou que a pasta tem a importante tarefa de criar políticas públicas na área de cultura, com espaço de reconhecimento e partilha de saberes artísticos, contribuindo para a implementação de ações inovadoras.

“Apesar da crise econômica conseguimos executar diversas ações. Seguimos comprometidos com as políticas de desenvolvimento sustentável e com o crescimento econômico, para criarmos uma unidade de pensamento. Precisamos entender a cultura como inclusão institucional, política e social, e trazer os municípios conosco para estimular ideias que ajudem a potencializar e ampliar a realização de metas e ações estratégicas para o Estado”, afirmou Athayde.

Festivais

fib
Festival de Inverno de Bonito 2016/ Foto: divulgação

A 17ª edição do Festival de Inverno de Bonito (FIB) foi realizada em julho, com 83 atrações artísticas de diversas áreas culturais e um público estimado em 25 mil pessoas. Foram 15 horas diárias de programação gratuita. O público mergulhou em um universo híbrido cultural, com shows musicais, debates, oficinas, exposições, peças teatrais, dança, circo, oficinas de skate, filmes voltados para a infância e até atividades esportivas e passeios ecológicos. O festival circulou em vários veículos de comunicação de MS e nos jornais O Globo, Folha de São Paulo, Rádio Eldorado, Revista Isto É e nas revistas das companhias aéreas Avianca e Azul.

america-do-sul
Festival América do Sul/ Foto: divulgação

Com o tema “Rio Paraguai que Une as Nações”, o 13º Festival América do Sul trouxe 60 atividades artísticas em novembro e foi prestigiado por um público de 30 mil pessoas. Entre os shows principais, a população ouviu Marcelo Loureiro, Carlinhos Brown, a banda chilena Pascuala Ilabaca e Fauna e a sambista Mariene de Castro, atriz que acaba de ganhar fama com a novela Velho Chico e por participação no encerramento das Olimpíadas. Além da música, foram apresentados espetáculos de teatro, cinema, circo, lançamento de livros, palestras, oficinas e mesa redonda e atrações do festival em Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suárez na Bolívia.

Teatro e Circo

Espetáculo Tekoha/ Foto: divulgação
Espetáculo Tekoha/ Foto: divulgação

O teatro e circo foram prestigiados com a mostra sul-mato-grossense Boca de Cena, que atraiu mais de quatro mil pessoas às apresentações gratuitas. Realizado entre os dias 18 e 23 de abril, a produção comemorou o Dia Internacional do Teatro e Dia Nacional do Circo -27 de março – com peças teatrais representativas da recente produção do Estado. Também foram realizados seminários, diálogos cênicos e oficinas criativas com os grupos participantes e debates sobre os espetáculos. Esse ano a programação contou com 12 espetáculos, entre dramas, comédias, atrações circenses e teatro infantil, inclusive com uma novidade: teatro especializado para bebês. As apresentações ocorreram no Teatro Aracy Balabanian, Museu de Arte Contemporânea, Praça Ari Coelho e no Calçadão da Barão.

Dos 12 grupos participantes, 10 são de MS : Fulano di Tal, Grupo Palco, Arte e Riso, Cia. Teatro Dois, Cia. Theastai, Núcleo Cena Viva. Dois grupos nacionais foram convidados: o La Casa Incierta, uma companhia de teatro hispano-brasileira pioneira no campo das artes cênicas para a primeira infância e o Circo Rebote, formado por acrobatas e palhaços Atawallpa Coello, Erika Mesquita e Waskar Coello. Na edição 2016 o Boca homenageou o Grupo Unicórnio, que possui 30 anos de história em MS.

Circuito em Anastácio/ Foto: divulgação
Circuito em Anastácio/ Foto: divulgação

Outra importante realização foi o Circuito Sul-Mato-Grossense de Teatro. Com ações inovadoras, trouxe uma temporada de apresentações teatrais gratuitas e encenações em 48 municípios. Realizado em agosto, as apresentações foram realizadas em teatros, espaços alternativos, ruas e praças do interior. Foram apresentados 10 espetáculos teatrais de grupos com atuação comprovada no Estado. O  público pode conferir os espetáculos Os Guardiões, do Teatral grupo de Risco, Cheiro de Chuva, do Núcleo Cena Viva (Dourados), Quem matou o morto?, da Cia Theastai (Dourados), entre outros.

Dança

Oficina da Semana pra Dança/ Foto: divulgação
Oficina da Semana pra Dança/ Foto: divulgação

Em agosto, a cultura realizou a 10ª edição da Semana Pra Dança que alcançou cerca de cinco mil pessoas. Foram workshops, debates e espetáculos com entrada franca. A apresentação à comunidade levou espetáculos e coreografias das diversas linguagens da dança, além de oficinas, exibição de vídeos, debates e rodas de conversas. A Fundação promoveu a difusão da arte e levou o evento para os bairros, agregando agentes da dança que atuam em academias, projetos, grupos amadores e grupos de danças populares. Quarenta grupos/academias apresentaram coreografias das diversas linguagens da dança.

Foram apresentados ao público seis espetáculos do MS: “Tem Trem?”, do grupo Funk-se; “Se Você Me Olhasse Nos Olhos”, da Ginga Cia de Dança; “Matilha”, da Expressão de Rua; “EntreNós”, da Cia Verso; Hérédité, da Isa Yasmin Cia de Dança e “De Passagem”, da Cia Dançurbana. Também, duas atrações nacionais, o Kahal, de dança de rua, de Jundiaí (SP), com o espetáculo “Gravidade”, e Elizabeth Finger, do Rio Grande do Sul, que apresentou o espetáculo “Buraco”, em circulação pelo Prêmio Funarte Klauss Viana 2014.

Circuito Dança do Mato/ Foto: divulgação
Circuito Dança do Mato/ Foto: divulgação

Houve ainda o Circuito Dança do Mato, uma caravana de espetáculos de dança pelo interior, assistido por mais de 34 mil pessoas. A ação percorreu dezenas de municípios e contou com a participação dos grupos Cia de Artes Anhanguera – Uniderp, Cia Dançar, Domi – Cia de Dança, Expressão de Rua, Funk-se, Grupo Bailah, Streetpop, Grupo Jovem Beatriza de Almeida, Zoe – Cia de Dança, Grupo Litani, Cia do Mato, Cia Dança Urbana, Cia Dançurbana – Espetáculo Singulares, Conectivo Corpomancia – Espetáculo Maria, Madalena, Cia do mato – Espetáculo: Monólogos da Dor, Casemiro Vicente, Nizael Almeida, Paulo Paim e Stélio Constantino Barbosa – Apresentação Mulher/Minenóptera, Zoe escola de Dança, Simbiose Street Dance, Cia Dançar, Grupo de Dança Isadora Duncan e Bailah Grupo de Dança.

Formação cultural

img_81321
Formação de arte educadores/ Foto: divulgação

Em parceria inédita, a Secretaria de Cultura e a Secretaria de Educação (SED) realizaram este ano o 1° Seminário Estadual Cultura e Educação – Território da Arte na Escola. A capacitação dos arte-educadores ocorreu em agosto. Os temas que embasaram a elaboração do evento foram: cultura e educação – um binômio indissociável para o desenvolvimento; diversidade cultural e educação, patrimônio e memória – a escola como ambiente para reconhecer e afirmar a identidade; arte na escola – os caminhos para a transformação, cultura da infância – o início da formação do ser humano; territórios de convivência entre cultura e educação: desafios e perspectivas e políticas públicas para cultura e educação em MS – o que podemos fazer já!. As oficinas tiveram o propósito de provocar o ensino e aprendizagem de linguagens artísticas.

Museus

Exposições temporárias no Marco/ Foto: Divulgação
Exposições temporárias no Marco/ Foto: Divulgação

Com o tema “Museus e Paisagens Culturais”, a 14º Semana Nacional de Museus reforçou o papel sociocultural e lançou um chamado para as instituições abrirem suas portas para a valorização das culturas e diversidade paisagística do país. Os museus de Mato Grosso do Sul contaram com uma programação especial durante o evento realizado em maio, como palestras, noite dos museus, pedal cultural, visitações mediadas, entre outras, tudo com entrada franca.

O Museu de Arte Contemporânea (MARCO) realizou as tradicionais exposições temporárias ao longo do ano. O setor educativo do museu trabalhou com a arte-educação em atividades práticas com escolas e grupos no complemento didático, bem como visitas orientadas às exposições, além de cursos de iniciação em arte para crianças, jovens e adultos.

Artesanato

Artesanato sul-mato-grossense/ Foto: Divulgação
Artesanato sul-mato-grossense/ Foto: Divulgação

Os artesãos de MS receberam apoio da fundação para participar de feiras estaduais e nacionais e promover o intercambio entre diferentes regiões. Entre elas estão: 17ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato – FENEARTE, realizada no mês de julho, em Olinda (PE); 27ª Feira Nacional de Artesanato, realizada neste mês de dezembro, em Belo Horizonte (MG); entre outras.

Proler

prolerteen-alunos
Programa nacional de incentivo à leitura/ Foto: Divulgação

O Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) tem como objetivo principal dar visibilidade para os poetas, escritores e agentes de rua, pessoas que fazem literatura sobre pessoas e para pessoas. De acordo com  a Sectei, o projeto visa a aproximação da população com a literatura e os espaços de leitura. Em sua 17ª edição, o tema foi “Cultura Urbana e Bibliotecas: (pré)ocupações”. O público participou de palestras e oficinas para desenvolver ferramentas e melhor fomentação da leitura, educação e cultura.

Comentários