Arquirrivais duelam com imbróglio do Paulistão ainda no STJD

Gazeta Esportiva.com

Árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, durante partida do Palmeiras contra o Corinthians, válida pela final do Campeonato Paulista 2018. 08/04/2018, Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras enfrenta o Corinthians, no Allianz Parque. O clássico será disputado com o imbróglio em torno da final do Paulista ainda no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

No último dia 8 de abril, com um triunfo nos pênaltis por 4 a 3 após ganhar por 1 a 0 no tempo normal, o Corinthians conquistou o título estadual. Insatisfeito com a arbitragem de Marcelo Aparecido, que marcou pênalti de Ralf sobre Dudu e voltou atrás depois de oito minutos, o Palmeiras contesta a final.

O clube presido por Maurício Galiotte, a princípio, entrou no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP), mas o órgão considerou que a impugnação foi requerida fora do limite de dois dias após a publicação da súmula e não julgou o mérito. O clube, por sua vez, alega que o prazo ficou congelado com o pedido de instauração de inquérito.

Acionado pelo Palmeiras após o insucesso no TJD-SP, o STJD teve um entendimento diferente. O órgão considerou que o clube alviverde agiu dentro do prazo regulamentar e decidiu que a eventual interferência externa na final do Campeonato Paulista deve ser analisada.

No entanto, três auditores do STJD pediram mais tempo para estudar o caso, o que levou o órgão a adiar o julgamento para uma nova sessão, sem data marcada. A impugnação da final do Campeonato Paulista, ainda assim, pode ser considerada algo improvável.

“Isso é questão da diretoria, não podemos carregar isso para sempre, porque querendo ou não, isso pode ficar no nosso subconsciente. A gente já teve uma conversa e isso é coisa para o presidente, o Alexandre. Nossa questão é resolver dentro das quatro linhas, queremos fazer um grande jogo e sair com a vitória”, afirmou o zagueiro palmeirense Luan.

A despeito da polêmica em torno da decisão estadual, os presidentes Maurício Galiotte e Andrés Sanchez mantêm um relacionamento cordial, a ponto de o dirigente do clube alvinegro ter marcado presença na recente festa pelos 104 anos do arquirrival.

Comentários