Argentina fica devendo futebol e vence a Jamaica por placar magro

Embora tenha criado boas chances, argentinos não tiveram contundência para matar o jogo contra rival mais fraco. Apagado, Messi parecia desconectado em certos momentos

Sem fazer muito esforço e apresentar grande futebol a Argentina venceu a Jamaica por 1 a 0, sua segunda vitória por este placar nesta Copa América, e garantiu a primeira colocação do Grupo B. Os jamaicanos voltam para o Caribe sem ter somado um ponto sequer, e tendo sido derrotados em seus três jogos por 1 a 0. A Albiceleste só saberá neste domingo, após as partidas do Grupo C, quem será o seu adversário nas quartas de final.

Gol solitário de Higuaín foi a única coisa a ser comemorada pelos argentinos (Foto: Pablo Porciuncula/AFP)
Gol solitário de Higuaín foi a única coisa a ser comemorada pelos argentinos (Foto: Pablo Porciuncula/AFP)

Os argentinos ficaram devendo, embora em vários momentos tenham feito boas jogadas e criado chances de aplicar um placar maior. Entre aqueles que ainda se espera mais está Messi. Tal como Neymar na Seleção Brasileira, o camisa 10 esteve irreconhecível até aqui. Algumas arrancadas, passes e um quase gol de cobertura no segundo tempo. Pouco para o que se está acostumado a ver do craque. Talvez a pouca qualidade do adversário tenha influenciado, afinal o camisa 10 parecia totalmente desconectado do que se passava em campo.

O gol da vitória saiu cedo, com 10 minutos de bola rolando. Bola centrada por Di María, rasteira, e Higuaín girou em cima de quatro marcadores e mandou para a rede. Lance que dava a impressão que uma goleada poderia vir.

Pressionada, a Jamaica chegava a ter nove jogadores dentro de sua área. Estava tudo tão tranquilo que até Rojo acertou um cruzamento de letra. As chances se seguiam com Higuaín encobrindo o goleiro e bola tocando o travessão, com o chute para fora de Messi e a boa defesa do goleiro Miller na bomba de Di María.

A impressão dos primeiros minutos do segundo tempo era que a Argentina finalmente iria resolver a parada. Di María acertou o travessão, Miller se esticou todo para evitar o gol de cobertura de Messi. Porém o gás foi acabando, a Jamaica foi ganhando mais posse de bola e chegou a exigir algumas defesas de Romero. A torcida, irritada com a pouca efetividade, ensaiou vaias. A arquibancada era o termômetro e Martino pôs em campo Tevez, o “jogador do povo”.

Só que nem assim a Argentina acordou. Quem esteve animada mesmo nos minutos finais foi a Jamaica. Sem nada a perder os Reggae Boyz até tentaram diante de suas limitações empatar. Tiveram uma sequência de escanteios já nos acréscimos, porém não alcançaram o objetivo de se despedirem do Chile com pelo menos um golzinho. Algumas vaias merecidas, aplausos frios e cantoria sem embalo após o apito final. A favorita Argentina ainda não deu as caras nesta Copa América.

FICHA TÉCNICA: ARGENTINA 1 X 0 JAMAICA

Local: Sausalito, em Viña del Mar (CHI)
Data-hora: 20/6/2015 – 18h30
Árbitro: Julio Bascuñán (CHI)
Público: 21.086 espectadores
Auxiliares: Carlos Astroza (CHI) e Marcelo Barraza (CHI)
Cartões Amarelos: Watson (JAM), Hector (JAM), Austin (JAM); Pastore (ARG), Zabaleta (ARG)
Cartões Vermelhos: Não houve
Gols: Higuaín 10’/1ºT (1-0)

ARGENTINA: Romero, Zabaleta, Garay, Demichelis e Rojo; Biglia, Mascherano e Pastore (Pereyra 13’/2ºT); Messi, Higuaín (Tevez 26’/2ºT) e Di María (Lamela 38’/2ºT) – Técnico: Gerardo Martino.

JAMAICA: Miller, Mariappa, Héctor (Taylor 25’/2ºT), Morgan e Lawrence; Austin, Watson, McCleary, McAnuff e Laing (Dawkins 26’/2ºT); Brown (Barnes 32’/2ºT) – Técnico: Winfried Schäfer.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários