Aquém da meta, COB comemora resultado no Pan de Toronto

Com 121 medalhas conquistadas a três dias do fim do Pan, o Brasil ainda está aquém da meta estabelecida antes das disputas em Toronto. Contudo, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) afirmou nesta sexta-feira (24) que está satisfeito.

Delegaçãoa brasileira na abertura do pan - Foto: Reprodução
Delegaçãoa brasileira na abertura do pan – Foto: Reprodução

Antes dos Jogos, o COB anunciou dois objetivos para serem cumpridos no Canadá: ficar entre os três primeiros no quadro de medalhas (pelo total) e superar o desempenho de Guadalajara-2011 (141 medalhas, sendo 48 de ouro, 35 de prata e 58 de bronze).

Questionado sobre a meta, o gerente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, ponderou que a equipe brasileira é muito jovem (70% está em seu primeiro Pan) e não precisava lutar pela classificação olímpica, com exceção do hóquei sobre a grama.

“Eu adoro essa pergunta porque meta tem que ser difícil e factível. Assim funciona em banco, seguradora, jornal, tem que ter meta e ela não pode ser simples”, disse Freire em entrevista coletiva em Toronto.

“Isso pode acontecer no ano que vem [na Rio-2016]. Fizemos o melhor trabalho possível, que é dar a melhor condição possível aos atletas. O que acontece na piscina ou na quadra é um detalhe. Assim que a gente olha. É difícil a meta, mas factível. Vamos esperar o fim do Pan, domingo [26]. Nós estamos muito felizes com o que tem acontecido aqui”, concluiu o dirigente.

Das 121 medalhas do Brasil até o momento, 34 são de ouro, 34 de prata e 53 de bronze. O resultado coloca o país na terceira colocação no quadro de medalhas tanto por ouro quanto pelo total, atrás de Estados Unidos e Canadá.

“É uma renovação enorme na delegação. Aumentaram as modalidades em que conquistamos medalhas, e isso é muito importante”, diz o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

O Brasil ganhou medalhas em 27 esportes no Pan de Toronto até o momento. Em Guadalajara foram 35.

“Sei que vão perguntar sobre alguns resultados que não foram os esperados. É um ponto de atenção para toda nossa área técnica, dirigida pelo Marcus Vinicius. Ele estará conversando com as confederações para buscar um caminho para solucionar”, afirmou Nuzman.

Segundo o presidente do COB, mais de 40% dos 590 atletas da delegação brasileira ganharam medalhas em Toronto. No entanto, outros países estão ganhando mais medalhas também.

“Um maior número de países têm conquistado medalhas, o que mostra evolução do esporte nas Américas”, justificou.

Folha.com

Comentários

comentários